A LIT BIT OCD: JOYCE | ROSEMARY HUGILL | DOCUMENTÁRIO | HOLANDA | 2019 | 12 

15 year old Joyce struggles with Obsessive Compulsive Disorder.

Joyce, de 15 anos, luta contra o Transtorno Obsessivo-Compulsiva.

ACROSS THE ANDES | HENRIK DAHLBRING | DOCUMENTÁRIO | SUÉCIA | 2019 | 25

 

Sete anos depois do suicídio do pai, os irmãos Anna e Henrik Dahlbring encontram-se para discutir sobre o pai e o impacto que ele teve em suas vidas. Um filme sobre como lidar com o abuso de álcool e a depressão do pai a partir da perspectiva de dois filhos.

 

Seven years after their father's suicide, siblings Anna and Henrik Dahlbring meet to discuss their father and his impact on their lives. A film about dealing with a fathers alcohol abuse and depression from the perspective of two children.

HENRIK DAHLBRING

 

O premiado cineasta Henrik Dahlbring nasceu em Gotemburgo, na Suécia, em 18 de outubro de 1995. Ele escreve, realiza e anima. Com uma grande paixão pelo cinema e uma curiosidade por novas formas de expressão, os filmes de Henrik são uma mistura de realismo a animações de contos de fada e tudo mais, muitas vezes lidando com assuntos como a doença mental, as adições e a masculinidade. Ainda jovem, Henrik teve a oportunidade de exibir os seus filmes em todo o mundo e fazer parte do Júri em vários festivais de cinema. “Eu acho que o cinema é uma maneira incrível de ampliar as perspectivas e processar as nossas aflições mais profundas. Eu gostaria de tocar aquilo que dói e contar aquelas histórias que são raramente contadas. Ao partilhar os meus filmes, desejo que todos nós nos tornemos um pouco mais compreensivos sobre nós mesmos e sobre os que nos rodeiam. ”

 

Award-winning filmmaker Henrik Dahlbring was born in Gothenburg, Sweden on the 18th of October 1995. He writes, directs and animates. With a big passion for filmmaking and a curiousity for new ways of expression. Henrik's films are a mix all from realism to fairytale-like animations and everything in between, often dealing with subjects like mental illness, addiction and masculinity. Still at a young age, Henrik has had the opportunity to screen his films all over the world and be part of the Jury on multiple film festivals. “- I think film is such an amazing way to broaden perspectives and process our deepest rooted afflictions. I’d like to touch that which hurts and to tell those stories that are too rarely told. In sharing my films I wish for us all to become a bit more understanding of ourselves and those around us.” 

 

Trailer

https://www.youtube.com/watch?time_continue=2&v=pueEF5irKoI

 

https://www.facebook.com/acrosstheandes

 

https://www.instagram.com/magsunmedia/

Across the andes.jpg

AFTER PARTY | 1º ANO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, NO ÂMBITO  DA UNIDADE CURRICULAR DE COMUNICAÇÃO AUDIOVISUAL DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE | ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO | PORTUGAL | FICÇÃO |

ALEXANDRA |  NIKA KHANJANI | MCGILL UNIVERSITY MONTREAL | ESCOLAS | EUA | 2019 | 10

 

Alexandra é o nome da rua em Montreal, onde fiz uma curta “residência” no espaço do loft de um amigo. Usei o tempo e o espaço para trabalhar num novo trabalho encomendado sobre saúde mental. Estou curiosa sobre as formas pelas quais uma prática de mediação da atenção plena se relaciona e interage com uma prática artística. Este vídeo de 11 minutos é uma resposta fílmica a uma das meditações guiadas disponíveis gratuitamente on-line e a um exercício de navegação nas distrações da mente e do mundo.

 

Alexandra is the name of the street in Montreal where I did a short “residency” at a friend’s loft space. I used the time and space to work on a new commissioned work about mental health. I am curious about the ways in which a mindfulness mediation practice parallels and intersects with an art practice. This 11min video is a filmic response to one of the guided meditations available for free online, and an exercise in navigating the distractions of the mind and of the world.

Heading 1

BEAST LAND | HUGO MAGRO |  DOCUMENTÁRIO | PORTUGAL | 9

 

O burro é talvez o único animal que sabe como tudo foi em vão. O seu jeito manso, triste também, é aquele que ouve uma longa e dura confissão, como parece ter os ossos e a carne dando um suspiro. Em torno de tudo isso estava exausto, lembra todo o cansaço e uma sugestão de amargura na conclusão dos planos iniciais de criação. Com ele, a poesia é recebida no chão e envolta em poeira e vento. as cores desmoronam, a imagem parece terrena. Vale a pena um reino inteiro, o burro.

 

The donkey is perhaps the only animal who knows how everything was in vain. His mild way, mournful too, it is the one who hears a long and hard confession, as seems to have the bones and flesh wrapping a sigh. Around it all was exhausted, reminds all tiredness, and a hint of bitter on completion of the initial plans of creation. With him, poetry is received on the ground and wrapped in dust and wind. the colors collapse, the image appears earthy.  It is worth a whole kingdom, the donkey. 

https://vimeo.com/233563479#at=0

BRO YOU ARE SO LOVED | BRIDGIE MATHIESON | JAMES PAGE | NOVA ZELÂNCIA | FICÇÃO | 2018 | 8

 

Um comentário que chama a atenção sobre o estigma que envolve a saúde mental em Aotearoa. O filme segue Seb, que reflete sobre os seus sentimentos enquanto se move em direção a uma escolha crucial em sua vida.

 

A commentary that draws focus on the stigma surrounding mental health in Aotearoa. The film follows Seb, who reflects upon his feelings whilst moving towards a crucial choice in his life.

DANCER BY THE SEA | BARBARA MONES | EUA | ESCOLAS | ANIMAÇÃO | 9

 

Uma mulher idosa, viúva e solitária, que mora junto ao mar, encontra e adota uma lontra abandonada em sua propriedade. O relacionamento que se desenvolve transforma sua vida.

 

An lonely widowed older woman who lives by the sea finds and adopts an abandoned baby otter on her property. The relationship that develops transforms her life.

 

BARBARA MONES

Barbara Mones é professora principal da Escola de Ciência da Computação e Engenharia e diretora do Reality Studio, parte do Reality Lab. Ela também lidera o Grupo de Pesquisa de Expressão Facial (FERG). Ela trabalhou tanto na academia quanto na indústria nas áreas de computação gráfica e produção de animação por mais de trinta anos. Ela foi Professora Associada e Fundadora e Diretora do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia da Informação Visual na George Mason University, Pesquisadora Visitante do Departamento de Ciência da Computação da George Washington University, Membro do Laboratório de Tecnologia de Interface Humana da Universidade de Canterbury, Nova Zelândia, e trabalhou para a Casa Branca e para a Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço no programa GLOBE (Aprendizagem Global e Observações para Beneficiar o Meio Ambiente) de Al Gore. Para isso, ela recebeu um prêmio da NASA Group Achievement. Ela projetou e escreveu programas de treinamento para todos os aspectos do pipeline de produção na Pacific Data Images / Dreamworks e na Industrial Light and Magic. Em seu papel como docente, ela dirigiu e produziu dezenove curtas de animação desde 1999. Mais recentemente, ela está desenvolvendo um currículo que incorpora o potencial da Realidade Virtual na narração de histórias, desenvolvimento de conteúdo e produção de filmes. Ela lecionou extensivamente em um nível internacional sobre temas relacionados à animação e desenvolvimento curricular. Seus filmes foram exibidos em teatros e museus internacionalmente, incluindo o SIGGRAPH Electronic Theatre e o Smithsonian Institution. Barbara recebeu seu diploma de graduação da Universidade de Michigan, Ann Arbor. Depois disso, ela estudou animação no Sheridan College e recebeu um MFA da Rhode Island School of Design.

 

Barbara Mones is a Principal Lecturer in the School of Computer Science & Engineering, and Director of the Reality Studio, a part of the Reality Lab. She also leads the Facial Expression Research Group ( FERG). She has worked in both academia and industry in the areas of computer graphics and animation production for over thirty years. She was a tenured Associate Professor and the Founder and Director of the Visual Information Technology Graduate program at George Mason University, a Visiting Researcher in the Department of Computer Science at George Washington University, Fellow at the Human Interface Technology Lab at University of Canterbury, New Zealand, and worked for the White House and National Aeronautics and Space Administration on Al Gore's GLOBE (Global Learning and Observations to Benefit the Environment) Program. For this she was presented with a NASA Group Achievement award. She designed and wrote training programs for all aspects of the production pipeline at both Pacific Data Images/Dreamworks and Industrial Light and Magic. In her role as faculty, she has directed and produced nineteen animated shorts since 1999. Most recently she is developing curriculum that incorporates the potential of Virtual Reality into storytelling, content development and filmmaking. She has lectured extensively on an international level on topics related to animation and curriculum development. Her films have been shown in theaters and museums internationally including the SIGGRAPH Electronic Theater and the Smithsonian Institution. Barbara received her undergraduate degree from University of Michigan, Ann Arbor. Thereafter, she studied animation at Sheridan College and received an MFA from Rhode Island School of Design.

INVISIBLE ANOTHER YOU | PRITHA CHAKRABORTY | DOCUMENTÁRIO | INDIA | 2019 | 52

 

A OMS afirma que 38% da população da Índia sofre de depressão, a depressão é 50% maior para as mulheres em comparação com os homens. Eventos traumáticos, como vitimização, socialização específica ao sexo, internalização, estilo de coping, status social desfavorecido e estigma percebido de doença mental, todos foram considerados como contribuindo para o aumento da vulnerabilidade das mulheres em relação à depressão. O filme narra a história de três mulheres que sofrem de depressão crónica. Rushita, uma menina de 13 anos, é submetida a aconselhamento psicológico. A raiz é em sua casa, sendo de tenra idade e ignorante na discriminação social de gênero, ela não consegue decifrar o porquê que a sua mãe é parcial com seu irmão e por que ela é intimidada por sua aparência. Estes são alguns problemas comuns enfrentados por uma menina em nossa sociedade, que pode resultar em depressão ao longo da vida. Ronita está nos seus vinte e poucos anos. Ela não conseguia identificar o motivo de suas fases intermitentes de depressão até sua recente lembrança de um incidente fatal de assédio sexual aos cinco anos de idade. De ser suicida a quase superação através de projetos de tratamento sua história. Paroma sofre de depressão pós-parto. Mas ela tem um discurso muito interessante para oferecer porque essa depressão a envolveu. A sua história questiona a estrutura social da maternidade em nossa sociedade. Este filme não apenas torna seu público consciente da depressão como uma doença, mas também aponta como, como sociedade, falhamos em reconhecer sua existência. Este filme nos leva a um passeio na bela psique dessas três mulheres fortes.

 

This narrates the story of three women, who suffer from chronic depression. Rushita a 13-year-old girl undergoes psychological counselling. The root of it is in her home, being of tender age and ignorant in social gender discrimination she can’t decipher why her mother is partial to her brother and why is she bullied for her looks. These are a few common issues faced by a girl-child in our society which could result in life long depression. Ronita is in her early twenties. She couldn't place the reason for her intermittent phases of depression until her recent remembrance of a fatal incident of sexual harassment at the age of five. From being suicidal to almost overcoming through treatment projects her story. Paroma suffers from postpartum depression. But she has a very interesting discourse to offer why this depression had engulfed her. Her story questions the social structure of motherhood in our society. This film not only makes its audience aware of depression as a disease but also points out how as a society we fail to acknowledge it's existence. This film takes us on a ride into the beautiful psyche of these three strong women. 

 

WHO states 38% of India's population suffers from Depression, the burden of depression is 50% more for women compared to men. Traumatising events such as victimisation, sex-specific socialisation, internalisation, coping style, disadvantaged social status, and perceived stigma of mental illness, have all been considered to contribute to the increased vulnerability of women towards depression.

PRITHA CHAKRABORTY

Pritha é uma cineasta / editora que vive em Kolkata. Após completar a sua educação em edição cinematográfica do Satyajit Ray Film and Television Institute, uma escola de cinema premium na Índia, ela trabalhou em vários projetos comerciais e não comerciais, incluindo documentários premiados e filmes de ficção como editor e diretor.

Ela é a fundadora / diretora da produtora Flying Leaves Production.

Ela também está associada ao Docedge AFD, a plataforma de lançamento e incubação de documentários da Índia.

Depois de dirigir campanhas de serviço público, promocional corporativa, Silent Voices é sua estréia no documentário como diretor, que é estreada em um dos mais prestigiados festival, HotDocs Canadian International Documentary Film Festival.

Tem sido em muitos outros festivais depois disso, Sheffield Doc (Reino Unido), onde também foi indicado para a prestigiada seção Mulheres e Doc, MIFF (Mumbai), SAIFF (NovaYork), IIFLA (LA) e muitos outros. Este filme recebeu menção especial do júri no IDPA Award 2017.

Sua primeira ficção sobre a identidade das mulheres após o casamento na Índia, chamada “Mukherjee Dar Bou (Esposa do Sr. Mukherjee)” foi lançada em 8 de março de 2019. Ela ganhou grande sucesso comercial e crítico na Bengali Film Industry.

 

Pritha is a Kolkata based Film-maker/Editor. After completion of her education in film editing from Satyajit Ray Film and Television Institute, a premium Film School in India, she has worked in many commercial and non-commercial projects including award-winning documentaries and Fiction feature films as editor and director. She is the Founder/ Director of producing outfit Flying Leaves Production. She is also associated with Docedge AFD, the documentary pitching and incubation platform of India. After directing public service campaigns, corporate promotional, Silent Voices is her debut in Documentary as a director, which is premiered in one of the most prestigious festival, HotDocs Canadian International Documentary Film Festival. It has been to many other festivals following that, Sheffield Doc (UK), where it was nominated for prestigious Women and Doc section too, MIFF (Mumbai), SAIFF (NewYork), IIFLA (LA) and many more. This film received jury special mention in IDPA Award 2017. Her first feature film fiction on women’s identity post marriage in India, named “Mukherjee Dar Bou (Wife of Mr. Mukherjee)” has released on March 8, 2019. It has gained huge critical and commercial success in Bengali Film Industry. “Invisible another you”, is her first feature length Documentary produced by PSBT. 

https://vimeo.com/316696605

@prithahere

MINDS THE LIMIT | ANDREI LOBANOV | DOCUMENTARIO | RUSSIA | 2019 | 22

 

Uma imersão audiovisual no mundo interior de pessoas com deficiências de desenvolvimento que vivem na Instituição Psiconeurológica N ° 3 perto de Peterhof, o documentário, Mind's the Limit, conta a história de um lugar que pode parecer uma instalação de tratamento, mas na verdade é um lugar de adaptação social e espaço para experimentação criativa. Muitos vivem sob os cuidados da sua equipa até seus últimos dias, enquanto exploram novos mundos através da pintura abstrata e da música eletrônica. Criatividade é a única maneira de se conectar com o mundo exterior. Que caminho eles têm para viajar pelo seu trabalho para se tornarem arte contemporânea?

 

 

An audiovisual immersion in the inner world of people with developmental disabilities living in Psychoneurological Institution No. 3 near Peterhof, the documentary short, Mind’s the Limit, tells the story of a place that may look like a treatment facility but is in actuality a place of social adaptation and a space for creative experimentation. Many live under the care of its staff until their final days, while exploring new worlds through abstract painting and electronic music. Creativity is their only way to connect with the outside world. What path do they have to travel for their work to become contemporary art? 

 

ANDREI LOBANOV

Andrei Lobanov, de 22 anos, é aspirante a diretor de cinema da Rússia, jornalista internacional e graduado do Instituto de Relações Internacionais de Moscou. Ele criou filmes e vídeos curtos sobre questões sociais para a plataforma de vídeo TOK. Lobanov está empenhado em mostrar à sua geração que cuidar é na moda, ajudar as pessoas a serem excitantes e ser cívico não é embaraçoso. Ele atinge seu objetivo misturando sérios problemas sociais com as tendências modernas. O que IDM e vida em uma instalação residencial para pessoas com deficiência mental têm em comum? O trabalho de estréia de Lobanov, Mind's the Limit, é exatamente sobre isso.

 

Andrei Lobanov, 22, is an aspiring film director from Russia, an international journalist and a graduate of the Moscow State Institute of International Relations. He has created films and short videos on social issues for the TOK video platform. Lobanov is committed to showing his generation that to care is trendy, to help people is exciting and to be civic-minded is not embarrassing. He achieves his goal by blending serious social issues with modern trends. What do IDM and life in a residential facility for people with mental disability have in common? Lobanov’s debut work, Mind’s the Limit, is exactly about that.

MUTE | NIGEL SMITH | ANIMAÇÃO | REINO UNIDO | 2019 | 3

 

 

Frank, um ex-salva-vidas, tem dificuldade em se comunicar. 'Mute' apresenta 'Frank', um homem com uma forma rara de Alzheimer: PPA, que afeta a fala primeiro. Enquanto ele tenta se comunicar, o filme apresenta um episódio de sua vida passada.

 

Frank, a former lifeboatman, has difficulty communicating. 'Mute' features 'Frank', a man with a rare form af Alzheimers: PPA, which affects speech first. While he attempts to communicate, the film plays out an episode from his past life.

 

NIGEL SMITH

Depois de uma carreira na medicina, o Dr. Nigel Smith é especializado em documentários animados que exploram a experiência subjetiva de doenças crônicas. Os seus filmes foram selecionados em festivais de cinema na Inglaterra e na Europa.

 

After a career in medicine, Dr Nigel Smith specialises in animated documentaries exploring the subjective experience of chronic disease. His films have been selected at Film Festivals in England and Europe.

 

http://drnismith.co.uk/

https://www.facebook.com/drnismith

MY PAIN ISN´T REAL | MONICA VICTORIA | MCGILL UNIVERSITY MONTREAL | EUA

My Pain Isn’t Real is an experimental short film that explores femininity, complex trauma through an emotional diary reflection. A contemplation of fears and realizations of personal navigation of mental health issues in society, it explores the clashes between an inner dialogue, understanding, and continually-disappointing institutionalized health services. The film uses a variety of mixed analogue mediums to travel through psyches and realities, examining complex trauma that is deeply-rooted in the feminine experience.

NO LIMIAR DO PENSAMENTO | ANTÓNIO SEQUEIRA | PORTUGAL | FICÇÃO | 19

 

 

 

Dinis, como a maioria dos jovens da sua idade, deseja ser independente e ir para a universidade, para se libertar da alçada demasiado protetora da mãe. Mas meses antes de o poder fazer, ele tem um surto psicótico. Madalena sofre imenso ao ver o seu filho a ser vítima de preconceito e rótulo de esquizofrénico por parte de amigos e até família. Ela é enfermeira, contudo ajudar os outros é uma tarefa muito mais fácil do que ajudar um filho. O seu desejo é que Dinis tenha uma vida normal e saudável, no entanto, ao aperceber-se do estigma persistente da sociedade e da sua impotência para com a doença mental, ela recai numa espiral de depressão, da qual apenas se liberta quando se apercebe que para poder cuidar do seu filho, primeiro tem de cuidar de si própria e que para deixá-lo ter uma vida normal, ela tem de o deixar ir para a universidade. Mas será que é possível ter uma vida normal com uma doença mental?

 

Dinis wishes to be independent and go to university. But he has recently been diagnosed with schizophrenia after a psychotic outbreak at school. Madalena suffers a lot from seeing her son being victim of prejudice from friends and even family. She is a nurse, however helping others is a task much easier than helping her son. She wants Dinis to have a normal and healthy life, but by realizing the persistent stigma in society and her own impotence against mental illness, she falls in a spiral of depression, from which she can only set herself free when she will understand that to be able to take care of her son, first she has to take care of herself and that to let him have a normal life means she has to let him go to the university. But can a person have a normal life with schizophrenia?

 

Inspired by the true stories of the difficulties not only suffered by the people with mental illness, but also by their respective caregivers, this film has the goal to raise awareness about mental illness, avoiding stigma and prejudice. We still live in a society where when someone does something different, they are called "crazy". We need to change this type of thought! In this project, we wanted to show a family with a person with mental illness and analyse the difficulties of the caregivers, the problem of stigma, and still try to emphasize the contribution of the person with mental illness in living positively integrated as part of a family. Therefore, this story is told by the point-of-view of the mum, a nurse used to taking care of other people, but who struggles to take care of her own son, thus exploring this vulnerable side of the caregiver, rarely portrayed in cinema.

ONE AND OTHER | TATIANE FERES | REINO UNIDO | FICÇÃO | 2015 | 1

 

Filmado em razão do que já foi um hospital, construído em 1916 para tratar de soldados feridos, esta curta-metragem visa desafiar o estigma e a discriminação detidos por aqueles de nós que convivem com os desafios de um diagnóstico de saúde mental.

O filme é inspirado na possibilidade de que, apesar de nossas muitas diferenças, nossas lutas pessoais podem ser o que nos une, em vez de nos separar. Uma ideia poderosa em um momento de incerteza social e política, particularmente dentro do Reino Unido.

Shot on the grounds of what was once a hospital, built in 1916 to treat injured servicemen, this short film aims to challenge the stigma and discrimination held towards those of us who live with the challenges of a mental health diagnosis. The film is inspired by the possibility that, despite our many differences, our personal struggles could be what unites us rather than separates us. A powerful idea at a time of social and political uncertainty, particularly within the United Kingdom.

Tatiane é produtora de TV e cineasta premiada, com formação jornalística. Seu trabalho reflete uma integridade editorial que é inspirada em projetos instigantes com uma forte história de interesse humano. Treinados pela indústria de TV britânica por um período de 9 anos, os créditos de Tatiane incluem: National Geographic Channel; Al Jazeera Inglês; Canal 4; 7 rede; Brilhar na Austrália; Discovery Channel e Facebook Watch. Ela trabalhou em sessões internacionais em 13 países, ao lado de pessoas de todas as esferas da vida. Como cineasta independente, produziu e dirigiu curtas-metragens encomendados por organizações britânicas e internacionais. Seu trabalho foi selecionado e ganhou prêmios em festivais e competições em todo o mundo. Tatiane is a TV Producer and award-winning filmmaker informed by a journalistic background. Her work reflects an editorial integrity that is inspired by thought provoking projects with a strong human-interest story.

Trained by the British TV industry over a period of 9 years, Tatiane’s credits include: National Geographic Channel; Al Jazeera English; Channel 4; 7 Network; Shine Australia; Discovery Channel and Facebook Watch. She has worked on international shoots across 13 countries, alongside people from all walks of life. As an independent filmmaker, she has produced and directed short films commissioned by British and international organisations. Her work has been selected and won awards in festivals and competitions worldwide. 

https://www.facebook.com/Project-Embrace-136977746495084/

PEIXOS DÁGUA DOLÇA (en aigua salada) | ESPANHA | 55 (legendas em castelhano)

 

La prevalencia del autismo es cada vez más alta. En Europa se diagnostica a 1 de cada 100 personas y, a pesar de esto, sigue siendo un gran desconocido para la comunidad científica. En el documental conoceremos los casos de Mariona y Marc, y escucharemos a los mejores especialistas. El objetivo es ofrecer un retrato actualizado de las personas autistas en todo sus espectro y edades. “Son peces de agua dulce en agua salada”, dice Isabel Paula, profesora de la Universidad de Barcelona.

 

https://www.youtube.com/watch?v=8WRpD7aJLpc&feature=youtu.be

markkserena@gmail.com

QUALQUER COISA DE BELO | PEDRO SENA NUNES | DOCUMENTÁRIO | PORTUGAL | 2018 | 19

 

O fotógrafo e radiologista José Fontes revisita o já inoperante hospital psiquiátrico Miguel Bombarda onde, durante duas semanas em 1968, captou as complexidades da vida quotidiana numa série de fotografias angustiantes. Como o passado e o presente convergem - como fotografias antigas encontram desenhos visuais atuais, e como o silêncio da negligência colide com texturas sonoras arraigadas - uma tentativa de patchwork cinematográfica floresce com a intenção de capturar (ou criar) visões passageiras de beleza em um ambiente mais inquietante.

 

Photographer-turned-radiologist José Fontes revisits the now-inactive Miguel Bombarda psychiatric hospital where, for two weeks in 1968, he captured the complexities of everyday life in a series of harrowing photographs. As past and present converge – as old photographs meet present-day visual sketches, and as the silence of neglect clashes with deep-seated aural textures – a tentative cinematic patchwork blooms with the intent of capturing (or outright creating) fleeting visions of beauty in a most disquieting environment.

 

https://vimeo.com/325716000/4975318d5e

ppv.voarte@gmail.com

THE DOOR | ANIK JEAN | FICÇÃO | CANADA | 2019 | 15

 

Vincent é um pintor reconhecido internacionalmente. É, há alguns meses, um prisioneiro na sua própria casa. Ele vive com agorafobia. Ele será capaz de encontrar a coragem para sair deste mundo.

Vincent is an internationally recognized painter. He's been a prisoner in his own house for few months now. He lives with agoraphobia. He will be able to find the courage to get out of this world.

 

TRAILER

https://vimeo.com/320006153

TRAPPED GHOST |  HSIEH, HUI-YING | TAIWAN | EXPERIMENTAL | 10

 

Os materiais originais para este filme incluem 135 filmes e filmes super 8 mm. Ao decompor a emulsão de gelatina, essas incríveis imagens aparecem. Crio texturas às vezes com propósito e às vezes sem. Acontece que, alguns parecem queimar-se e alguns tornam-se invasão de vírus. Quando as tiras de emulsão, olhando para elas, de repente percebo minha imaginação em imagens. E eles desaparecem imediatamente. Por isso, edito este filme como um adeus à “imaginação das imagens”. Lamentar o desaparecimento e ver a substância da imagem.

The original materials for this movie include 135 film and super 8 mm films. By decomposing the gelatin emulsion, these incredible images appear. I create textures sometimes with purpose and sometimes without one. Turns out, some looks like burning and some becomes virus intrusion.  When the emulsion strips, looking at them, I suddenly realize my imagination on images. And they immediately disappear. Therefore I edit this film as a farewell to “the imagination of images”. To mourn the disappearance and to see the substance of image.

 

https://www.facebook.com/Hanny.Hsieh

VERAS | RAPHAEL TONELLI MEELHUYSEN | CURSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE | FICÇÃO | 2018 | 3

 

Este filme traz memórias vivas da vida de Vera. Dos menores aos maiores traumas que levaram sua saúde a problemas imensuráveis.

This movie brings vivid memories from Vera's life. From the smallest to the biggest traumas that led her health into immeasurable problems.

 

RAPHAEL TONELLI MEELHUYSEN

Nascido e criado na capital mineira - Belo Horizonte, Raphael iniciou sua jornada audiovisual muito cedo. Desde jovem que se interessa pela magia e no universo que o cinema pode criar. Recentemente se formou em publicidade, trabalha com a produção e direção de comerciais e vídeos musicais. Na sua experiência internacional como ERASMUS na UAlg - Universidade do Algarve - teve a oportunidade de fazer o curta-metragem VERAS, que teve grande repercussão na área da saúde em Portugal.

Born and raised in the capital Mineira - Belo Horizonte, Raphael began his audiovisual journey very early. Since he was younger, he is interested in the magic and the universe that cinema can create. Recently graduated in Advertising, works with the production and direction of commercials and music videos. In his international experience as ERASMUS at UAlg - University of Algarve - he had the opportunity to make the short film VERAS, which had great repercussion in the health area in Portugal.

VATN | LORA DÁMATO | McGILL UNIVERSITY Montreal | EUA | 4

The film VATN covers the underlying realms of being what is and what isn’t there, the beginning of diagnosis as a woman trying to seek help. Words are and are not transmitted, though repeated. This film is a poem, a shout - a sign.

 

https://vimeo.com/300406947

pw: montreal

VISIONS OF LLARTPROJECT | SOFIA TRINCÃO | DOCUMENTÁRIO | PORTUGAL | 2019 

 

Neste filme, compartilhamos as idéias e visões de nosso projeto de arte sobre o multi-artista Leif Lønne. Ação direta. Nenhum ator Não há planos de filmagem e horários; o momento em si - cru e nu - sem equipamentos… sem efeitos especiais… onde a imagem passa a ser a expressão de uma visão estética e subjetiva. O uso da câmera como "Camera Paint and Camera Travel" representa a expressão estética de como a realidade é tomada e como expressão de uma realidade interna. Onde a imagem em si mesma ... e a construção da narrativa, se revelam como uma expressão artística e terapêutica do processo de recuperação para quem vive e quem vive próximo, o chamado problema estigmatizado do doenças mentais, e acredita que arte e expressão artística são uma boa terapia! Pode ser que isso seja uma abordagem da ArtFilm PsychoTherapy!

 

 

In this film we share the ideas and visions of our art project about the multi artist Leif Lønne. 
Direct action. No actors. No shooting plans and schedules; the moment in itself - raw and naked - without equipment…without special effects…where the image turns to be the expression of an esthetic and subjective vision. Were the use of the camera as "Camera Paint and Camera Travel" represents the esthetical expression of how reality is taken and as expression of a inner reality.

Where the image in it self …and the construction of the narrative, turn out to be an artistic and therapeutic expression of the process of recovery for the one who lives with, and the one who lives near, the so called and stigmatized problem of the mental illnesses, and believes that art and artistic expression are a good therapy! May be this is an approach to ArtFilm PsychoTherapy !

 

 

SOFIA TRINCÃO

Nasceu em Lisboa, Portugal, em 1965. Estudou Comunicação e Palco Design Já trabalhou em vários documentários dirigidos pelo português, José Álvaro de Morais, Joaquim Pinto e Sérgio Trefaut. Dirigiu juntamente com Clscar Clemente, dois documentários: “Praia da Lota 1989-2000” e “Praia de Monte Gordo”. Este último ganhou cinco prêmios em cinco diferentes festivais internacionais de cinema, e ambos foram exibidos na televisão nacional portuguesa, canal 2. Gosta de entrar em contato, conhecer e mostrar as questões e problemas do “mundo”, do esquecimento, realidades desprotegidas, precárias e estigmatizadas. É junto com Leif Lønne trabalhando no projeto LLart que é baseado no trabalho de arte de Leif, mas quer desenvolver arte e criatividade como um campo para o desenvolvimento e terapia de seres humanos. 

 

Was born in Lisbon, Portugal, in 1965. Has studied Communication and Stage Design 

Has worked in several documentary films directed by the portuguese, José Álvaro de Morais,

Joaquim Pinto and Sérgio Trefaut. Has directed together with Òscar Clemente, two documentary films: “Lota’s Beach 1989-2000” and “Monte Gordo’s Beach”. This last one got five awards in five different International Film Festivals, and both have been screened on the Portuguese National Television, channel 2. Likes to get in touch, to know and to show to the “world” issues and problems, from forgotten, unprotected, substandard and stigmatized realities. Is together with Leif Lønne working on the LLartproject that is based on Leif’s art work, but wants to develop art and creativity as a field for human beings development and therapy. 

 

 

LEIF LØNNE

Nasceu na Noruega em 1959. Começou a tocar guitarra aos dez anos de idade. Mais tarde se transformou em várias disciplinas de arte. Lønne expôs suas pinturas na galeria L´Escale em Bruxelas e na Galeria de Arte Internacional em Almansil; bem como em muitas outras galerias na Noruega, Portugal e Bélgica. Ele tem sido um guitarrista em vários grupos e escreveu dois livros. Lunatics Talk é sua estréia como editor de filmes. A vida na rua e o "tratamento" psiquiátrico forçado também são questões familiares em sua vida.

 

Was born in Norway in 1959. Starting playing guitar at the age of ten. Has later turned into several disciplines of art. Lønne has exposed his paintings in gallery L´Escale in Bruxelles, and in Gallery of International Art in Almansil; as well as in a lot of other galleries in Norway, Portugal and Belgium. He has been a guitar player in several groups and wrote two books. Lunatics Talk is his debut as a film editor. Street life and forced psychiatric "treatment" are also familiar issues in his life.

 

WITHOUT | ENNI RED | EXPERIMENTAL | RUSSIA | 2019 | 12

 

 

Uma jovem bailarina enfrenta problemas tanto na sua vida pessoal como na vida profissional. Quando ela se perde numa depressão e mergulha em mundos imaginários, a vida real a força-a a encontrar uma saída.

 

A young ballerina faces problems both in her personal and professional life. When she loses herself in depression and plunges into imaginary worlds, real life forces her to find a way out.

 

ENNI RED

 

Após 18 anos de trabalho nas Indústrias Criativas Russas (Educação, Cinema, TV, Teatro, Festivais) em diferentes posições de Assistente para Executivo, Enni mudou-se para o Reino Unido em 2015 para uma carreira no novo país. Ela terminou Mestrado em Roteiro com Distinção e fazendo um PhD em Cinema na Universidade de Lancaster agora. Ela está escrevendo roteiros de curtas e longas-metragens e produzindo curtas-metragens. Curta-metragem "Sem" é sua estréia na direção.

 

After 18 years of work in Russian Creative Industries (Education, Film, TV, Theatre, Festivals) in different positions from Assistant to Executive, Enni moved to the UK in 2015 to a career in the new country. She finished Masters Degree in Screenwriting with Distinction and doing a PhD in Film at Lancaster University now. She is writing screenplays of short and feature films and producing short films. Short film "Without" is her directorial debut.

 

https://vimeo.com/235179024#at=3