Heading 1

123-Teaser3.jpg

1, 2, 3 MAIS UMA VEZ | VASCO DIOGO | DOCUMENTÁRIO | PORTUGAL | 48

"1,2,3, Mais Uma Vez" retrata, de forma experimental, um conjunto de sessões mediadas pela música, no contexto de programas terapêuticos com Pessoas com Doença de Alzheimer. Estas intervenções integravam o trabalho da Equipa da Área de Dia em Psicogeriatria, serviço criado pelo Doutor Pedro Macedo, do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa (2013). À realidade humana das sessões juntou-se, de forma inclusiva, a possibilidade de devaneio, expressa num menos corporativo trabalho de imagem e som.

Filmado em 2013, no Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa, no contexto dos programas terapêuticos com Pessoas com Doença de Alzheimer, integrados no trabalho da Equipa da Área de Dia em Psicogeriatria.

"1,2,3, Once Again" depicts, in an experimental way, a number of sessions mediated by music, in the context of therapeutic programs with People with Alzheimer. These interventions were part of the work carried by the team of the Day Area in Psychogeriatrics, created by Doctor Pedro Macedo, in the "Centro Hospitalar Psiquiátrico of Lisbon" (2013). To the human reality of the sessions the film adds, in an inclusive way, the possibility of daydreaming, by a less corporative work on sound and image.

film:

https://vimeo.com/280311808 pw - open beats

teaser: https://vimeo.com/280442676

https://www.vascodiogo.com

VASCO DIOGO

Vasco Diogo nasceu em Lisboa em 1970. É licenciado em Sociologia pela Universidade Nova de Lisboa, mestre em ciências sociais pela Universidade de Lisboa e doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa, com a tese: "Video: especificidade, hibridismo e experimentação "(bolsa de estudos da FCT, 2008).Desde 2008 é professor na Universidade da Beira Interior, ensinando principalmente direção de cinema, novos cinemas e cinema experimental.Depois de ser co-fundador do Projecto Teatral, trabalha desde 1998 em performance, videoarte e cinema experimental em torno de temas como auto-apresentação, verdade e manipulação. No cinema experimental ganhou vários prêmios internacionais (mais de vinte), especialmente com o filme: "antiviralvlog anexperimental - o filme remix #!". Mostrou os seus trabalhos em várias exposições e festivais em Portugal, Espanha, Itália, EUA, Canadá, Índia, Alemanha, França, Chipre, Polónia, etc.

Vasco Diogo was born in Lisbon in 1970. He has a degree in Sociology by Universidade Nova de Lisboa, a master degree in social sciences by Universidade de Lisboa and a PhD in Communication Sciences by Universidade Nova de Lisboa, with the thesis: "Video: specificity, hybridity and experimentation"(scholarship by FCT, 2008). Since 2008 he is a professor at University of Beira Interior teaching mainly cinema directing, new cinemas and experimental cinema. After being co-founder of Projecto Teatral, works, since 1998 in performance, video art and experimental cinema around themes such as self-presentation, truth and manipulation. In experimental cinema he has won several international awards (more than twenty), specially with the film: "anexperimentalviralvlog - the movie remix # !". He has shown his works in several exhibitions and festivals in Portugal, Spain, Italy, USA, Canada, India, Germany, France, Cyprus, Poland, etc.

 

A BOAT | ALEXIS KIRKE | EXPERIMENTAL | 9.15

boatshootroom2.jpg

Jamie, diagnosticado com uma forma rara de demência de corpos de Lewy de início precoce aos 30 anos, recebe uma encomenda inesperado. De quem é, e como isso pode ajudá-lo? Um barco combina uma história de amor carinhoso com uma visão única sobre os sintomas desta forma menos conhecida de demência.

Jamie, diagnosed with a rare form of young-onset Lewy body dementia in his early 30s, receives an unexpected package in the post. Who is it from, and how can it help him? A Boat combines a story of caring love with a unique insight into the symptoms of this lesser-known form of dementia.

 

ALEXIS KIRKE

Alexis Kirke is a multi-award-winning filmmaker whose work has been called "the future of film-making" by Movies.com and whose screening invites include BBC Research and Development (UK), Print Screen Festival (Israel), and London Free Film Festival. His film work has been featured on BBC TV, NPR, Indiewire, Movies.com, El Pais, The Verge, Filmmaker, Stuff, The Times, Al Jazeera TV, Gizmodo, New Scientist, and Digital Filmmaker.

 

http://www.alexiskirke.com/#a-boat

A FÓRMULA DA PAZ | CLÁUDIA DIAS e RITA LUZ | CENTRO DE APOIO SOCIAL DE PISÃO | GRUPO DE TEATRO PARTICIPAÇÃO ATIVA |  PORTUGAL

João encontra-se numa encruzilhada. Ao conhecer uma rapariga misteriosa, ele é obrigado a escolher entre manter uma vida marginal ou ter uma vida honesta. Neste filme interativo, o João não é o único que tem de fazer escolhas.

 

CLÁUDIA DIAS

28 anos, com formação ao nível do secundário em Artes do Espetáculo – Interpretação – onde ganhou interesse até então nas artes de interpretação, principalmente teatro e cinema. Desde essa altura tem feito várias formações nas áreas da escrita criativa, interpretação, improvisação e caracterização. Hoje, enquanto animadora Sociocultural no Centro de Apoio social do Pisão onde trabalha com adultos com problemas de saúde mental, utiliza o teatro como estratégia terapêutica para trabalhar competências de socialização, concentração, pensamento crítico, respeito pelo outro, integração grupal, auto-confiança e, acima de tudo, a qualidade de vida.

 

RITA LUZ

38 anos, psicóloga clínica, com pós-graduação em técnicas e metodologias expressivas, a experiência oa nível das artes do espetáculo dá-se nas áreas da dança, com algumas incursões ao nível da interpretação em televisão e publicidade. Mentora de projetos de dança e expressão corporal, no contexto comunitário e junto de pessoas portadoras de deficiência, tem utilizado as técnicas expressivas como ferramenta de intervenção, inclusão e desenvolvimento pessoal e social. Atualmente, realiza estágio profissional como psicóloga, onde encontra nas expressões um veículo previligiado de intervenção com adultos com patologia psiquiátrica.

unnamed (1).jpg

AN IMPROVISED REALITY | JOÃO MEIRINHOS  | ELISE LAKER | DOCUMENTÁRIO | 22

Screen_Shot_2014-11-19_at_05.25.35.jpg

O que Matt Damon, Madonna, Denzel Washington e Michael Jackson têm em comum?
Por que as pessoas querem ser famosas?
Ao fingir ser outra pessoa, podemos descobrir mais a nós mesmos e, olhando para o processo inteiro de nos tornarmos outros, acabamos sendo um personagem criativo em seu próprio documentário.


"Realidade Improvisada" é um filme etnográfico auto-reflexivo produzido em colaboração com o Creative Support. Ele segue os ensaios semanais do grupo de teatro 'Breakthrough' para indivíduos com diferentes tipos de dificuldades de aprendizagem.

 

What does Matt Damon, Madonna, Denzel Washington and Michael Jackson have in common?

Why do people want to be famous? 
By pretending to be someone else we can discover more ourselves and, by looking back at the whole process of becoming another, we end up being a creative character in your own documentary.

 

'An Improvised Reality' is a self-reflexive ethnographic film produced in collaboration with Creative Support. It follows the weekly rehearsals of the 'Breakthrough' drama group for individuals with different types of learning disabilities.


JOÃO MEIRINHOS
João é cineasta etnográfico e pesquisador. Ele tem trabalhado para várias organizações socialmente engajadas com foco em justiça social e consciência ambiental desde 2007 - usando ferramentas audiovisuais para acionar o intercâmbio cultural e mediar o diálogo entre as pessoas. Desde 2011, ele desenvolve um projeto de cinema itinerante movido a energia solar, patrocinado pela ONG italiana Bambini Nel Deserto. Com 'Cinema du Desert' ele teve a possibilidade de viajar e trabalhar na África Ocidental e na Ásia Central. Um mestrado em Antropologia Visual com a Universidade de Manchester levou-o a realizar trabalho de campo na Amazônia peruana que culminou no documentário "Espelho do Espírito" (a primeira parte "Afluentes" foi muito bem recebida em festivais etnográficos em todo o mundo). Desde então João tem trabalhado entre o Reino Unido, Hong Kong e Lisboa como freelancer audiovisual.

JOÃO MEIRINHOS

 

João is an ethnographic filmmaker and a researcher. He's been working for various socially engaging organisations focusing on social justice and environmental awareness since 2007 – using audiovisual tools to trigger cultural exchange and mediate dialogue between people. Since 2011 he developed a solar powered itinerant cinema project sponsored by Italian NGO Bambini Nel Deserto. With 'Cinema du Desert' he has had the possibility to travel and work in West Africa and Central Asia. An MA in Visual Anthropology with the University of Manchester led him to undertake fieldwork in the Peruvian Amazon that culminated in the feature documentary ‘The Mirror of the Spirit’ (the first part 'Afluentes' was very well received in ethnographic festivals world wide). Ever since João has been based between UK, Hong Kong and Lisbon as a audiovisual freelancer. 

https://vimeo.com/joaomrmeirinhos

AUTISM AS A GIFT | JOSE DVORAK | DOCUMENTÁRIO | REPÚBLICA CHECA | 26

_trailer_02.jpg

O documentário Autismo como um presente é um testemunho sensível dos pais de um menino autista de nove anos, Ángel. Eles olham para a "deficiência" ou "peculiaridade" do filho de uma perspectiva diferente da maioria da sociedade, para eles é um presente. Oportunidade de autoconhecimento e autoeducação. Ángel é sua inspiração e um ótimo professor. Muitos voluntários vão à casa deles para passar algum tempo com o Ángel, com base nos princípios do Programa Son-Rise®. É um método que não é tão conhecido e difundido na República Checa. Seu objetivo não é desenhar uma criança autista em nosso mundo, mas sim unir seu próprio mundo primeiro. Enquanto seus pais e voluntários mergulham em seu misterioso mundo autista, Ángel lentamente abre o portão e entra em nosso mundo em troca. Todos concordam que Ángel tem um sexto sentido que revela as feridas internas de todos que trabalham com ele. Podemos nos perguntar quem é a pessoa afetada e quem é voluntário? Quem ajuda quem? Ángel ou a pessoa que está com ele no quarto?

 

The documentary Autism as a gift is a sensitive testimony from the parents of a nine-year-old autistic boy Ángel. They look at their son´s "disability" or "peculiarity" from a different perspective than most of the society, to them it is a gift. Opportunity for self-knowledge and self-education. Ángel is their inspiration and a great teacher. Many volunteers go to their house to spend time with Ángel based on the principles of the Son-Rise Program®. It is a method that is not so well known and widespread in the Czech Republic. Its goal is not to draw an autistic child into our world, but rather to join his own world first. As his parents and volunteers dive into his mysterious autistic world, Ángel slowly opens the gate and enters into our world in return. Everyone agrees that Ángel has a sixth sense that reveals the inner wounds of everyone who works with him. We can ask ourselves who is the person affected and who is a volunteer? Who helps whom? Is it Ángel or the person who is with him in the room?

 

https://www.youtube.com/watch?v=IeAVCTDg73Y

BEING KEEGAN | STEPHANIE ZARI | FICÇÃO | REINO UNIDO | 2018 | 22

BK_awardeo.jpg

Crescendo no apogeu do Liverpool Football Club em 1970, Jay, de dez anos de idade, e seu melhor amigo Sean passam os seus dias a jogar futebol mas ruas marginalizadas de Liverpool, tomado pela ascensão do famoso jogador de futebol Kevin Keegan. Quando a tragédia atinge, ela muda suas vidas para sempre. Seguimos a jornada de Jay quando ele volta para casa depois de 25 anos e exploramos as ramificações do trauma da infância até a idade adulta.

 

Growing up in Liverpool Football Club’s 1970’s heyday, 10-year-old Jay and his best friend Sean spend their days playing football in the backstreets of marginalised Liverpool, gripped by the rise of celebrity footballer Kevin Keegan. When tragedy strikes, it changes their lives forever. We follow Jay’s journey as he returns home after 25 years and explore the ramifications of childhood trauma into adulthood.

 

Stephanie is an award winning writer/director/producer. Her first short film MARIGOLDS achieved festival and critical success, screening at over 25 festivals and events worldwide. Having received rave review in Little White Lies, MARIGOLDS was acquired and broadcast on BBC HD SHORTS, won Best Director at Underwire Film Festival and nominated for Best Screenplay, as well as being a finalist for Shooting People's film of the month. Her films have been chosen as Rankin's Collabor8te and Hunger.tv’s film of the week and SHORTS ON TAP, WOMEN IN REVOLT SERIES in 2015/16. Her films have been curated for various online platforms including Filmdoo and Indieflix.

She was BAFTA shortlisted in 2014 for her short film DAWN starring Edward Hogg (Taboo, Jonathan Strange & Mr. Norrell, Jupiter Ascending, Indian Summers) and Keeley Forsyth (Happy Valley, The Casual Vacancy, Guardians Of The Galaxy).  DAWN is her second short film and draws upon the themes of her upcoming feature, IN OUR BLOOD. DAWN screened at festivals worldwide.

Stephanie’s latest short film, BEING KEEGAN, which stars BAFTA nominated Stephen Graham (Taboo, This Is England, Boardwalk Empire, Pirates of The Caribbean). It has garnered in-kind support of BAFTA and OSCAR winning post-production teams at Peter Jackson’s Park Road Post, Company 3 and Rushes and also secured Stephanie a PIA PRESSURE NEW VOICES Award.  BEING KEEGAN’s trailer was released to astounding success and off the back of its potential secured additional completion funds from TEMPLEHEART FILMS. The trailer was also selected by AWARDEO and FILM SHORTAGE for trailer/campaign of the week, INDIEWIRE’ Project of The Week and shortlisted for the SCREENCRAFT Short Film Production Award as well as receiving a Danish Decibel Arts Fund.

Stephanie was chosen for the Branchage Director's Lab and is a member of Director's UK. She has forged a successful career as a First Assistant Director currently repped by Screen Talent Agency and a Promo Producer working with top tier artists and talent over the last 8 years from Goldfrapp, Sam Smith and Little Mix and Esther May Campbell to Jamie Thraves. Stephanie is now focussed on moving exclusively into development and production of her own projects as a filmmaker.

Stephanie is currently in development on her debut feature IN OUR BLOOD which has been awarded development funding by the British Film Institute (BFI). The script reached the semi-finals of the SHORE SCRIPT competition out of 2500+ entries and the project has been selected for this years BFI/Birds Eye View FILMONOMICS scheme.

https://www.facebook.com/BeingKeegan/

Stephanie Zari
www.stephaniezari.com

Trailer

BREAK A LEG | CARVER DISERENS | ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA | VIDEOCLIP | 12

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um estudante universitário luta contra uma lesão na perna e a maneira estranha com que as pessoas reagem a ela.

Carver concluiu recentemente um MFA com uma concentração Creative Producing no programa de cinema da Columbia University em Nova York. "Break a Leg" é o segundo filme de Carver sobre saúde mental. Como produtor, as recentes produções de Carver foram exibidas no Festival de Cinema de Atlanta, no Festival Internacional de Cinema de Rhode Island, no Festival de Cinema de San Diego, no DC Shorts Festival e no Festival Internacional de Cinema de Estocolmo. Carver trabalhou no cinema e na televisão desde 2009, trabalhando em vários projetos, incluindo "The Colbert Report", "Como fazer nos Estados Unidos", "Curb Your Enthusiasm", "Homens de Preto III", "Person of Interest", " Anchorman II "Alpha House" da Amazon e a minissérie da Showtime "Escape at Dannemora." Ele trabalhou mais recentemente em Desenvolvimento na Amazon Studios em seu grupo de desenvolvimento de meia hora. Ele também trabalha meio período na The Screenwriters Colony, um não -profit laboratório de roteiro, onde coordena a comédia episódica Colony realizada todo mês de junho.

 

A college student struggles with a leg injury and the strange way that people react to it.

 

Carver recently completed an MFA with a Creative Producing concentration at Columbia University's film program in New York. "Break a Leg" is Carver's second film addressing mental health. As a producer, Carver's recent productions have screened at the Atlanta Film Festival, Rhode Island International Film Festival, San Diego Film Festival, DC Shorts Festival and Stockholm International Film Festival. Carver has worked in film and television since 2009 working on various projects including, “The Colbert Report”, “How to Make it in America”, “Curb Your Enthusiasm”, “Men in Black III”, “Person of Interest”, "Anchorman II" Amazon’s “Alpha House" and the upcoming Showtime mini-series "Escape at Dannemora." He most recently worked in Development at Amazon Studios in their half-hour development group. He also works part time at The Screenwriters Colony, a non-profit screenwriting lab where he coordinates the episodic comedy Colony held every June.

IMG_0856.jpg

CONTRATEMPO | JOSÉ ALBERTO PINHEIRO | PORTUGAL | DOCUMENTÁRIO | 14

Documentário sobre projecto de criação musical constituído por pacientes com esquizofrenia. Este projecto resulta de uma parceria estabelecida entre a Associação Nova Aurora na Reabilitação e Reintegração Psicossocial, a Associação Cultural e Recreativa da Tuna de Tecnologia da Saúde do Porto e o Laboratório de Reabilitação Psicossocial da ESS/FPCEUP, visando a produção e utilização da música como ferramenta no combate ao estigma relativamente a pessoas com problemas de saúde mental.

Documentary about musical creation project constituted by patients with schizophrenia. This project results from a partnership established between the Nova Aurora Association in Psychosocial Rehabilitation and Reintegration, the Cultural and Recreational Association of the Technology of Health of Porto and the Psychosocial Rehabilitation Laboratory of ESS / FPCEUP, aiming at the production and use of music as tool to combat stigma in relation to people with mental health problems.

JOSÉ ALBERTO PINHEIRO

Nascido em 1980, é professor do ensino superior nas áreas de estudos visuais, vídeo e cinema. Realizador e produtor de cinema e televisão, o seu corpo de trabalho abrange criações que vão do experimental ao documental, passando pela ficção, animação e cinema comercial. Em 2001 viu a sua obra estrear no Up And Coming Film Festival (Alemanha) e posteriormente ser adquirida pela Mircocinema International (EUA), iniciando a um percurso por festivais internacionais de cinema, passando ainda pelos principais canais de televisão portugueses e assinando a realização de um dos maiores sucessos de bilheteira da década.

Born in 1980, he is a professor of higher education in the fields of visual studies, video and cinema. Director and producer of film and television, his body of work covers creations ranging from experimental to documentary, through fiction, animation and commercial cinema. In 2001, he saw his work debut at the Up And Coming Film Festival (Germany) and later acquired by Mircocinema International (USA), starting a tour of international film festivals, including the main Portuguese television channels and signing the one of the biggest box office hits of the decade.

https://www.facebook.com/pinheirofilm

602de0fb9e-poster.jpg

Heading 1

DEEP INSIDE THE BELLY OF A WHALE | MARIO CIRILLO | ITALIA | DOCUMENTÁRIO | 11

pin.jpg

Um workshop de teatro envolvendo pacientes psiquiátricos e uma história que trata de temas universais: Pinóquio. O resultado é um roteiro corajoso, uma mise-en-cena surpreendentemente original, uma performance da humanidade em movimento.

 

A drama workshop involving psychiatric patients and a story that deals with universal themes: Pinocchio. The result is a corageous screenplay, a surprisingly original mise-en-scene, a performance of moving humanity.

Centro Diurno Del Dipartimento di Salute Mentale Arvalia - ASL Roma e della Cooperativa Sociale Aletheia Psichiatra Resposable Dr. Andrea Masini - Laboratorio teatrale a cura di Alessia Berardi , Giorgia Porchetti.

FOR WANT OF A NAIL | LUCY JOAN BARNES | REINO UNIDO | FICÇÃO | 2018 | 18

FWOAN161.jpg

Inspirado pelas próprias lutas do escritor Nick com Transtorno Obsessivo-Compulsivo e Pensamentos Intrusivos, mas reconfigurado e extrapolado para um "pior cenário" mais severo, "Para o desejo de um prego" segue Marty, que tenta viver um "dia perfeito". À medida que a história se desdobra, torna-se evidente que sua gama de rotinas complexas foi composta por uma sucessão de mortes na família. Agora, apenas com sua irmã gêmea, Marty se viu buscando finalmente, de uma vez por todas, dissipar os impulsos e a paranóia que impulsionam as compulsões que estão afetando seriamente sua vida - e, em sua mente, impedir que sua irmã morra.

 

 

Inspired by writer Nick’s own struggles with Obsessive Compulsive Disorder and Intrusive Thoughts, but reconfigured and extrapolated to a more severe 'worst case scenario' “For Want of a Nail​​” follows Marty, who attempts to live out a 'perfect day'. As the story unfolds it becomes apparent that his range of intricate routines have been compounded by a succession of deaths in the family. Now, with only his twin sister left, Marty has found himself seeking to finally, once and for all, dispel the urges and paranoia that drive the compulsions which are seriously affecting his life – and, in his mind, stop his sister from dying.

LUCY JOAN BARNES

Having received a Diploma in Art and Design from Ravensbourne College Lucy decided to follow a path towards theatre, graduating from Rose Bruford College with a degree in Theatre Stage management. This progressed into a career in theatre and drama school education spanning 12 years, teaching her how to interact with actors on and off set to build relationships and get the best performance possible.

After many years of working in this area, and having the opportunity to work with some incredible artists such as Brian Cox, Fiona Shaw, Alan Rickman and Jeremy Irons, Lucy heard the siren call of film and decided to leave everything behind to study for an MA in Fiction Directing at Edinburgh University.

Graduating with a distinction, her graduate short film “Lucid” was nominated for “Best Drama” at BAFTA NEW TALENT AWARDS 2016 and has been shown at several festivals. Since then Lucy has gone on to work on a further 5 features films in a variety of roles focused on production and direction.

Taking inspiration from the likes of Park Chan-wook, Mary Harron and Jim Jarmusch her style focuses on highlighting the beauty within darker subject matter through the visual composition of the scene and sensitive directing of the actors to build an empathic link to the audience.

https://www.oakhillproductions.co.uk/fwoan

https://www.facebook.com/FWOAN/

Trailer

GALANGAL |  MARIA LOYTER |  RUSSIA | FICÇÃO | 2018 |  14

IMG_9815.jpg

Um dia na vida de um psiquiatra especializado em suicídios. Após a sua decisão descansa qual dos pacientes será liberado e que permanecerá no hospital.

One day in the life of a psychiatrist who specialises in suicides. Upon his decision rests which of the patients will be released and which will remain in the hospital.

GENTLE MENTALS | VERONICA PADILLA | ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA | EXPERIMENTAL | 2

Hoarder_hermit_RGB.jpg

Heading 1

Uma em cada cinco pessoas nos EUA experimenta uma doença mental. Mas ainda é considerado um tópico sombrio. Nós gostaríamos de mudar isso. O que é escuro é o estigma que enfraquece as pessoas para obter a ajuda de que precisam; pessoas que sofrem quietamente ou pior - vidas perdidas. Criamos esses animais relacionáveis ​​com problemas para aliviar essa conversa pesada. Se pudermos sorrir e falar mais abertamente sobre algo que toca tantos, todos seríamos melhores para isso.

Veronica Padilla é uma produtora autodidata com extensa experiência em design gráfico, ilustração, direção de arte, design de produto e estilo. Veronica passou mais de quinze anos como artista comercial e seu trabalho tem sido exibido por vários prêmios e publicações do setor. Ela é a fundadora da Tiny Movement - uma butique de design dirigida conscientemente, que se concentra em trabalhar com marcas, fundações e organizações sem fins lucrativos que estão fazendo o melhor para fazer a diferença. Ela mora em Chicago com o marido e sua geriatra de dezessete anos, Yorkie, Roxy.

 

One in five people in the U.S. experiences a mental illness. But it's still considered a dark topic. We'd like to change that. What's dark is the stigma that disempowers people to get the help they need; people quietly suffering or worse—lives lost. We created these relatable animals with issues to lighten this heavy conversation. If we can smile and speak more openly about something that touches so many, we'd all be better for it.

 

Veronica Padilla é uma produtora autodidata com extensa experiência em design gráfico, ilustração, direção de arte, design de produto e estilo. Veronica passou mais de quinze anos como artista comercial e seu trabalho tem sido exibido por vários prêmios e publicações do setor. Ela é a fundadora da Tiny Movement - uma butique de design dirigida conscientemente, que se concentra em trabalhar com marcas, fundações e organizações sem fins lucrativos que estão fazendo o melhor para fazer a diferença. Ela mora em Chicago com o marido e sua geriatra de dezessete anos, Yorkie, Roxy.

Veronica Padilla is a self-taught maker with an extensive background in graphic design, illustration, art direction, product design, and styling. Veronica has spent over fifteen years as a commercial artist and her work has been showcased by a number of industry award shows and publications. She is the founder of Tiny Movement—a consciously-led design boutique which focuses on working with brands, foundations, and non-profits who are doing their best to make a difference. She lives in Chicago with her husband and her seventeen-year-old geriatric Yorkie, Roxy.

https://www.gentlementals.com/

https://www.facebook.com/gentlementals

HASHTAGWILL | PER SUNDSTROM | SUÉCIA | FICÇÃO | 2017 | 21

will_003_kopia.jpg

William de 15 anos não sente muito apoio de seus amigos quando ele tenta lutar contra assédio e intimidação ao redor dele. Como muitos blogueiros de vídeo, ele sofre de ódio, mas ele também tem a batalha contra seus próprios demônios para lidar.
Um fim de semana ele tem permissão para usar o auditório da escola sozinho para gravar um vídeo, mas eventos estranhos começam a ocorrer. Alguém também está ameaçando ele ...

15 year old William doesn’t feel much support from his friends when he tries to fight against harassments and bullying around him. Like many video bloggers, he suffers from hatred, but he also has the battle against his own demons to deal with.

One weekend he gets permission to use the school auditorium alone to record a video but strange events start to occur. Someone is also threatening him...


Per Sundström trabalhou como designer de iluminação, compositor, músico e editor de filmes, mas principalmente como supervisor de edição de som na Chimney, as principais empresas de pós-produção cinematográfica da Suécia, onde também desenhou todos os estúdios de som, incluindo um misturador de filmes. Educado na Academia de Arte Dramática de Estocolmo e trabalhou com mais de 100 filmes. Concedida pelo som "Deixe a pessoa certa entrar".
"hashtagwill" é a estréia de Per como diretor e produtor.

Per Sundström has worked as lighting designer, composer, musician and film editor but mainly as supervising sound editor at Chimney, Sweden’s leading film post production companies, where he also designed all the sound studios including a film mixer. Educated at Stockholm Academy of Dramatic Art and has worked with over 100 films. Awarded for the sound on ”Let the right one in”.

"hashtagwill" is Per's debut as director and producer.

https://hashtagwillthemovie.wordpress.com/

https://www.facebook.com/hashtagwill/

HOLLOW | JOÃO PIDRAÇA | FICÇÃO | PORTUGAL | 7.30

d117a6ccb4-poster.jpg

Um rapaz perturbado pela sua própria mente entra num ciclo vicioso. Um distúrbio em expansão que o consome da maneira mais irritante e terrível.

 

A boy troubled by his own mind enters a vicious cycle. An expanding disturbance consumes him in the most annoying and awful way.

I AM STILL YOUR CHILD | MEGAN DURNFORD| DOCUMENTÁRIO | 45

IASYC_production_still_credit_Catbird_Fi

496/5000

Jessy, Sarah e Von estão familiarizadas com os "altos e baixos" de viver com um pai que sofre de doença mental. Esta situação é extremamente comum (60% das pessoas com doença mental são pais) e pode haver sérias repercussões a longo prazo. Eu ainda sou seu filho nos imerge em um mundo desconcertante, mas esperançoso, através das histórias de três assuntos convincentes que encontraram maneiras de lidar - e até mesmo prosperar!

 

Jessy, Sarah and Von are all familiar with the "ups and downs" of living with a parent who suffers from mental illness. This situation is extremely common (60% of people with mental illness are parents) and there can be serious long-term repercussions. I Am Still Your Child immerses us in a bewildering, yet hopeful, world through the stories of three compelling subjects who have found ways to cope—and even thrive!

 

Megan Durnford made her first foray into documentary film with Just A Lawn (2007), a short documentary about the dark side of “perfect” lawns. In 2011, Megan directed Une brique à la fois, an affectionate portrayal of four Quebec adult LEGO builders. She has attended the Summer Institute of Film and Television in Ottawa and IDFAcademy in Amsterdam.

https://www.facebook.com/iamstillyourchild/

 

http://catbirdproductions.ca/fr

IIMPERMANENCE | TANYA LEAHY | EXPERIMENTAL | CANADA | 2018 | 2.23

Film_Stills_3.jpg

A impermanência é um filme pessoal, desenhado à mão e experimental que descreve a ansiedade e como a atenção plena pode ajudar a perceber sua natureza efêmera.

 

Impermanence is a personal, hand drawn, experimental film depicting anxiety and how mindfulness can help one realize its ephemeral nature.

Tanya Leahy é uma artista visual e cineasta residente em Montreal. Faz animação sob a câmera e experimenta os elementos texturais de materiais orgânicos e pictóricos. Tematicamente, Tanya está mais interessada em descrever estados psicológicos, emoções e experiências femininas em seu trabalho. Ela acaba de concluir seu BFA no programa de animação de filmes na Universidade de Concordia.

 

Tanya Leahy is a visual artist and filmmaker based in Montreal. She makes animation under the camera and experiments with the textural elements of organic and painterly materials.Thematically, Tanya is most interested in depicting psychological states, emotions and feminine experiences in her work. She has just completed her BFA in the Film Animation program at Concordia University.

 

TRAILER

https://vimeo.com/270416183

IRIDISCENT | CAITLIN THOMPSON | AUSTRALIA | 2017 | EXPERIMENTAL | 3

Iridescent_Production.jpg

Imagine tentar viver uma vida normal quando seus pensamentos se tornam as vozes mais barulhentas, mais controladoras e mais humilhantes da sala.

Estima-se que mais de 70 milhões de pessoas estejam vivendo com um transtorno alimentar, e esse número continua a crescer. Eles têm uma das maiores taxas de mortalidade de qualquer doença psiquiátrica, impulsionada pela má nutrição e resultados de saúde associados e taxas exponencialmente mais altas de suicídio.

Como muitas doenças mentais, os distúrbios alimentares são mal compreendidos e subestimados.

Esta não é uma escolha de estilo de vida. Infelizmente, a falta de empatia e compreensão tem estigmatizado distúrbios alimentares. Uma maior compreensão pode melhorar a prevenção e a identificação precoce, e também pode incentivar os pacientes a procurar ajuda mais cedo e com maior frequência.

Nós não falamos sobre transtornos alimentares, então deixamos o transtorno falar por si.

Focalizando o poder do áudio, o iridescente coloca o usuário na posição de alguém com uma experiência vivida, ouvindo seus processos de pensamento, experimentando sua ansiedade, com o objetivo de que o entendimento crie empatia e, por sua vez, mais apoio para os necessitados.

O iridescente é o primeiro de seu tipo a usar a realidade virtual para abordar especificamente a luta mental dos transtornos alimentares.Imagine trying to live a normal life when your thoughts become the loudest, most controlling and most demeaning voices in the room.

Over 70 million people are estimated to be living with an eating disorder, and that number continues to grow. They have one of the highest mortality rates of any psychiatric illness, driven by poor nutrition and associated health outcomes and exponentially higher rates of suicide.

Like many mental illnesses, eating disorders are misunderstood and grossly underestimated.

This is not a lifestyle choice. Unfortunately, a lack of empathy and understanding has stigmatised eating disorders. Greater understanding can improve prevention and early identification, and could also encourage sufferers to seek help earlier and more often.

We don’t speak about eating disorders so we let the disorder speak for itself.

Focusing on the power of audio, Iridescent places the user in the position of someone with a lived experience, hearing their thought processes, experiencing their anxiety, with the goal that understanding breeds empathy, and in turn, more support for those in need.

Iridescent is the first of its kind to use virtual reality to specifically address the mental struggle of eating disorders.

LEO | HERMAN DELGADO | PORTUGAL | 2017 |  FICÇÃO | 4

69108aa760-poster.jpg

A realidade de uma criança de dez anos em um ambiente fechado com mentalidades parou no tempo, vista de seus olhos.

 

The reality of a ten-year-old child in a closed environment with mentalities stopped in time seen from his eyes.

Herman Delgado

Nascido a 17 de maio de 1990 na Horta, Açores. Estudou Artes Visuais - Multimídia, 13/09. Cineasta autodidata, editor de vídeo freelancer.

Born may 17th 1990 in Horta, Azores.  Studied Visual Arts - Multimedia, 09/13. Autodidact filmmaker, freelance video editor.

LIFELINES | CAT PARK | FICÇÃO | CANADA | 8.30

Arielle_in_bus_lineup.jpg

Oprimido pelas provações e tribulações do ensino médio, Arielle encontra refúgio em um hábito perigoso - até que sua melhor amiga descobre seu segredo.
cp@curiouscatproductions.ca

 

Overwhelmed by the trials and tribulations of high school, Arielle finds refuge in a dangerous habit – until her best friend discovers her secret.

 

CAT PARK

Para seu trabalho diário, Catharine trabalha como diretora e escritora premiada em programas de documentários para o Smithsonian Channel, National Geographic e Discovery Channel. Em seu tempo livre, ela segue sua paixão pela criação de curtas-metragens pessoais. Sua recente narrativa roteirizada, “Lifelines”, é seu quarto curta, seguindo os docs “Very Good Dirt” e “Bent Out of Shape” e sua primeira curta narrativa, “To the Sea”.


For her day job, Catharine works as an award-winning director and writer on documentary programs for the Smithsonian Channel, National Geographic and Discovery Channel. In her free time, she follows her passion for creating personal, short films. Her recent scripted narrative, “Lifelines”, is her fourth short, following the docs “Very Good Dirt” and “Bent Out of Shape” and her first short narrative, “To the Sea”.

Heading 1

Lucy_Breaking_the_Silence_Still_Image_2.

Por trás do sorriso de Lucy de 22 anos, ela escondeu um segredo sombrio. Em maio de 2012, Lucy suicidou-se para o completo choque de todos os seus amigos e familiares. Esta não é apenas a história de Lucy, mas a história dos que ficaram para trás.

 

Behind 22-year-old Lucy's smile, she covered a dark secret. In May 2012, Lucy committed suicide to the complete shock of all her friends and family. This is not only Lucy's story, but the story of those left behind.

SARA HOLLOWAY

Sarah é uma cineasta britânica nascida em Croydon. Sarah começou sua carreira como dançarina e coreógrafa profissional, com um repertório variado na televisão e no palco, tanto no Reino Unido quanto internacionalmente. Sarah mais tarde fez a transição para usar suas habilidades criativas no outro lado da câmera, fazendo seu primeiro curta-metragem para uma instituição de caridade após o Tsunami em 2004.
 Sarah também é uma professora qualificada com um coração social para os jovens, o que a posicionou no encaixe perfeito para sua primeira estreia como diretora “Lucy: Breaking the Silence”, que carrega uma forte mensagem social sobre os jovens de hoje.
Antes de dirigir filmes, Sarah trabalhou anteriormente com a premiada Fact Not Fiction Films como produtora assistente no longa-metragem “A Dark Reflection” (2015).

 

Sarah is a British filmmaker, born in Croydon. Sarah began her career as a professional dancer and choreographer, with a varied repertoire across television and stage, both in the UK and internationally. Sarah later transitioned to using her creative skills the other side of the camera, making her first short film for a charity following the Tsunami in 2004. Sarah is also a qualified teacher with a social heart for young people, which positioned her into the perfect fit for her first time directorial debut “Lucy: Breaking the Silence”, which carries a strong social message regarding young people today. Before film directing, Sarah worked previously with award-winning Fact Not Fiction Films as Assistant Producer on the feature film, “A Dark Reflection” (2015).

MA TERRE |  MICHAEL RUÉ | FICÇÃO | FRANÇA | 13

Meu cheiro lembra esse perfume doce e estranho que emanava da rua, era o sabor da liberdade ... minha liberdade, minha fuga na vida dos grandes, enfim, que me tornei grande e forte, agora sou capaz de vá sozinho sem a ajuda e presença de meu pai comigo, o que significou muito na minha vida, desde as primeiras rodadas de rodas de bicicleta hoje! ... A escuridão volta para mim, os sons desaparecem lentamente desaparecem, depois a escuridão ... Estou com frio, tenho medo, não consigo me mexer, estou preso, não ... preso! Eu devo chamar, gritar, gritar meu nome ... minha liberdade ...! Quem sou eu ? Onde estou ? Estou cansado, quero dormir ... durmo ... durmo ...

 

My smell remembers this sweet and strange perfume that emanated from the street, it was the taste of freedom ... my freedom, my flight in the life of the great, finally, that I became great and strong, now I'm able to go alone without the help and presence of my father with me, the one that meant so much in my life, since these early rounds of bicycle wheels up today ! 
... 
The darkness comes back to me, sounds fade slowly disappear, then the dark ... I'm cold, I'm afraid, I can not move, I'm stuck, no ... prisoner ! I must call, scream, yell my name ... my freedom .... ! 
Who am I ? Where am I ? I'm tired, I want to sleep ... I sleep ... I sleep ...

MAY8th | KARIZA REYS | DOCUMENTÁRIO | ESCOLAS | 6

MY NAME IS JONH FRANKE | NICHOLAS FRANGAKIS | ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA | 2017 |

O cineasta Nick Frangakis entrevista seu irmão bi-polar que luta com seus demônios criando arte.

Filmmaker Nick Frangakis interviews his bi-polar brother who struggles with his demons by creating art.

 

 

Nicholas Frangakis é cineasta há 40 anos. Seus filmes foram feitos para o mercado de filmes educativos. Seu filme "After The First" ganhou o Blue Ribbon Award da Educational Film Library Association; e "Eucaristia" ganhou o Grande Prêmio no Festival Internacional de Radiodifusão da Católica em Monte Carlo. Ele está atualmente envolvido na produção de seu roteiro "Auguste e Jean" sobre a vida e carreira de Jean Renoir.

 

 

 

Nicholas Frangakis has been a filmmaker for 40 years. His films were made for the educational film market. His film "After The First" won the Blue Ribbon Award from the Educational Film Library Association; and "Eucharist" won Grand Prize at the Catholic International Broadcasters Film Festival in Monte Carlo. He is currently involved in producing his screenplay "Auguste and Jean" about Jean Renoir's life and career.

PANIK ATTACK! | EILEEN O´MEARA | ANIMAÇÃO | 3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Do you ever wonder “did I leave the coffee on?” or “am I pregnant with a devil-baby?”

This 3-minute short explores anxiety, obsession, and one woman’s slippery hold on reality.

"Ataque de pânico!" É uma animação desenhada à mão do ponto de vista de uma mulher tendo um ataque de pânico.
Eu queria que as transições entre a realidade e seus medos imaginários fossem perfeitos, então não há edições - é um desenho em transformação contínua.

 

“Panic Attack!” is a hand-drawn animation from the point of view of a woman having a panic attack.
I wanted the transitions between reality and her imagined fears to be seamless, so there are no edits -- it is one continually transforming drawing.

Panic Attack! - Facebook

https://www.facebook.com/panicattackmovie

 

Panic Attack! - Website

http://panicattackmovie.blogspot.com

 

Website - Eileen O’Meara Animation

http://eileenomeara.blogspot.com

Poster_Panic_Attack_The_Manson_Girls_©Ei

PARK SLOPE | ERIC TRENKAMP | ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA | FICÇÃO | 2017 | 5

PARK_SLOPE.jpg

Uma nova mãe que luta contra a depressão pós-parto se vê atraída pelo impensável.
A depressão pós-parto é uma doença crescente entre as jovens mães e é uma questão social muito real que afeta mais de 3 milhões de mulheres nos EUA a cada ano. A Organização Mundial da Saúde estima que 20% das novas mães em todo o mundo sofrem de depressão pós-parto a cada ano.

 

A new mother struggling with post-partum depression finds herself drawn toward the unthinkable.

Post-partum depression is a growing ailment among young mothers and is a very real social issue that affects more than 3 million women in the U.S. each year. The World Health Organization estimates that 20% of new mothers worldwide are afflicted by postpartum depression each year.



ERIC TRENKAMP
Eric Trenkamp é um cineasta premiado cujo trabalho foi apresentado na IFC e na Current TV. Seu longa-metragem American Bomber foi premiado em numerosos festivais de cinema, incluindo o Manhattan Film Festival, o Art of Brooklyn Film Festival e o Mississippi International Film Festival, e é distribuído pela IndiePix Films. Ele é instrutor no Departamento de Cinema / Vídeo do Pratt Institute e um estudante de graduação no Departamento de Artes da Pratt.
 

Eric Trenkamp is an award winning filmmaker whose work has been featured on IFC and Current TV. His feature American Bomber won awards at numerous film fests, including the Manhattan Film Festival, Art of Brooklyn Film Festival and Mississippi International Film Festival and is distributed by IndiePix Films. He is an instructor in the Film/Video Dept. at the Pratt Institute and a grad student in Pratt's Media Arts Dept.

 

https://www.facebook.com/eric.trenkamp.9

PLAY PEOPLE | NADYA FEDOTOVA | RUSSIA | 2018 | ANIMAÇÃO | ESCOLAS  | 8

PLAYPEOPLE2.jpg

Esta é uma história de amor difícil. O filme mostra uma pessoa intrigada dentro de si. Um dia ele descobre alguém com seu amor, mas não é um simples adultério - o amante tem a mesma cara que o herói ...

This is a story of difficult love. The film shows a person who puzzled inside himself. One day he discover somebody with his Love, but it's not a simple adultery - the lover has the same face as the hero...

 

NADYA FEDOTOVA

Nasceu em 1992 em Moscou. Formado pela Universidade Estadual Russa de Cinematografia, chamado por Gerasimov em 2017.
O diretor de curta metragem de animação The Pain (2016).

 

Was born in 1992 in Moscow. Graduated from Russian State University of Cinematography called by Gerasimov in 2017.
The director of short animation film The Pain (2016).

QUIETUS | JOSHUA HEXT | EXPERIMENTAL | REINO UNIDO | 2018 | 4

Quietus.jpg

Christina usa o imenso ruído da sua coleção de televisores CRT antigos para bloquear as vozes na sua cabeça; até que um dia ela tem um corte de energia que a mergulha no silêncio que ela sempre temeu, onde as vozes têm o controlo.

Christina uses the immense noise from her collection of old CRT televisions to block out the voices in her head; until one day she has a power-cut which plunges her into the silence she's always feared, where the voices have control.

JOSHUA HEXT

Oshua é um escritor, realizador e designer que, desde a adolescência, vem aperfeiçoando o seu ofício. Trabalhou em produções para a Adobe, Channel Random Acts, National Film e Television School nessas capacidades e estudou com o Film Design Institute no Pinewood Studios.
Escreveu e dirigiu um filme experimental financiado em crowdfunding chamado "Cotação", filmado nas Highlands escocesas. Em 2017, escreveu, dirigiu, desenhou e compôs música para uma curta chamada 'Quietus', produzido pela Screen South em conjunto com o esquema Random Acts do Channel 4.

Joshua is a writer, director and designer who, since his mid teens, has been honing his craft. He has worked on productions for Adobe, Channel 4 Random Acts, National Film and Television School in these capacities and studied with the Film Design Institute at Pinewood Studios.

He wrote and directed a crowdfunded experimental film called 'Quotation' shot in the Scottish Highlands. In 2017, he wrote, directed, designed and composed music for a short film called 'Quietus' which was produced by Screen South in conjunction with Channel 4's Random Acts scheme.

RABO NEGRO | TIAGO SILVA |  PORTUGAL | DOCUMENTÁRIO | 25

frame4.png

Luís Henrique Jorge tem 80 anos e vive sozinho. Viveu grande parte da vida na América Latina, esteve preso duas vezes e diz não acreditar em Deus. Centra os problemas no último relacionamento, nos vizinhos e numa crise de religião que afoga diariamente no vinho.

Luís Henrique Jorge is 80 years old and lives alone. He lived a great part of his life in Latin America, was arrested twice and says he does not believe in God. It centers problems in the last relationship, in the neighbors and in a crisis of religion that drowns daily in the wine.

RIDING THROUGHT THE DARK |  KATRINA BROWN | DOCUMENTÁRIO | REINO UNIDO | 2018 | 16

Riding_Through_the_Dark_2.jpg

Ciclistas de elite e não-elite contam sobre os demônios que encontram ao atravessar a escuridão mental e física nas belas Terras Altas da Escócia.

Katrina Brown, da Broon Coo Films, é uma premiada cineasta de documentários que fornece novas perspectivas sobre aventuras ao ar livre, contando histórias de baixo teor do mundo do esporte e da exploração, especialmente as das mulheres. Nascida em Dundee, Escócia, e baseada em Aviemore, tem sido inspirada pelas montanhas à sua porta e pelas histórias que você pode viver lá fora.

Elite and non-elite cyclists tell of the demons they encounter as they ride through mental and physical darkness in the beautiful Highlands of Scotland.

Katrina Brown of Broon Coo Films is an award winning documentary filmmaker providing fresh perspectives on outdoor adventure, telling undertold stories from the world of sport and exploration, especially those of women. Born in Dundee, Scotland, and based in Aviemore, she has long been inspired by the mountains on her doorstep and the stories you can live out there.

SCRIBBLING | ATHITHYA KANAGARAJAN | INDIA | FICÇÃO | 5

SATZ0198.jpg

SCRIBBLING is a short film on "DYSGRAPHIA", a learning disability. This short film portrays the struggle of a five year old girl who suffers from dysgraphia and her mother.

SCRIBBLING é um curta-metragem sobre "DISGRAFIA", uma dificuldade de aprendizado. Este curta-metragem retrata a luta de uma menina de cinco anos que sofre de disgrafia e sua mãe.

Athithya Kanagarajan nasceu e cresceu em Cuddalore. Estudou engenharia no Sri Sairam Engineering College, em Chennai. O seu amor por livros e histórias levou-o ao cinema. Após a faculdade, começou a fazer curtas-metragens e fez quatro curtas-metragens até o momento.

Athithya Kanagarajan was born and brought up in Cuddalore. He did his Engineering at Sri Sairam Engineering College, Chennai. His love for books and stories got him into movies . After college he started making short films and has made four short films so far. 

SISTERLY | NINA VALLADO | ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA | DOCUMENTÁRIO | 28

Copy_of_nina_and_lisa_animation.jpg

 Nina e Lisa são duas irmãs destinadas a ser as melhores amigas, mas com um diagnóstico de autismo aos 2 anos de idade, a voz de Lisa desaparece. Sem comunicação, Nina e Lisa tentaram encontrar conexão e irmandade.

Nina Vallado nasceu no Rio de Janeiro, Brasil e se mudou para os Estados Unidos da América com a idade de seis anos. Ela recebeu seu BFA em documentário da Andrews University. A paixão de Nina pela justiça social e igualdade é resultante de suas experiências como imigrante e sua estreita relação com o autismo. Nina se esforça para contar histórias que podem evocar empatia e conexão entre os seres humanos. Ela acredita firmemente que contar histórias é a maior ferramenta de mudança do mundo.
Nina trabalhou em projetos de documentários curtos que ganharam prêmios, como "Then Came Sandy" e "Papi". Seu projeto sênior, "Sisterly", para seus estudos de graduação, concentra-se em seu relacionamento complexo com sua irmã com autismo. "Sisterly" é um filme estudantil produzido ao longo de quatro anos e envolveu artistas e profissionais do Brasil, Estados Unidos da América, Portugal e Islândia.

Nina and Lisa are two sisters destined to be the best of friends, but with a diagnosis autism at the age of 2, Lisa’s voice disappears. Without communication, Nina and Lisa set out to find connection and sisterhood.

 

Nina Vallado was born in Rio de Janeiro, Brazil and moved to the United States of America at the age of six. She received her BFA in Documentary Film from Andrews University.

Nina’s passion for social justice and equality is stemmed from her experiences as an immigrant and her close relationship with autism. Nina strives to tell stories that can evoke empathy and connection between human beings. She strongly believes that storytelling is the world’s greatest tool for change.

Nina has worked on short documentary projects that have won awards, such as "Then Came Sandy" and "Papi". Her senior project, "Sisterly," for her undergraduate studies, focuses on her complex relationship with her sister with autism. "Sisterly" is a student film produced over the course of four years and has involved artists and professionals from Brazil, United States of America, Portugal and Iceland.

https://vimeo.com/210889429#at=11

https://www.facebook.com/sisterlyfilm

SKÓGAFOSS | NIELS BOURGONGE | 2017 | FICÇÃO | IRELANDA | 10

Heading 1

48f37854ed-poster.jpg

Durante as férias com sua namorada, Gijs recebe um telefonema de sua mãe, que revela seu estado mental perturbado e seu relacionamento complexo.

 

While on vacation with his girlfriend, Gijs receives a phone call from his mother, that reveals her troubled mental state and their complex relationship.

 

Niels Bourgonje (1980) é um premiado diretor de curtas e comerciais baseado em Amsterdão. Niels começou como estagiário no longa-metragem internacional THE DEVILS DOUBLE, que estreou no Sundance Film Festival. Formou-se com a curta thriller BURN, que foi selecionada para vários festivais internacionais de cinema, ganhando inúmeros prémios. Seu acompanhamento foi o drama de alta intensidade ORDER. Em 2014, Niels dirigiu a PEACE AND QUIET, vencendo o 48 Hour Film Project. Pouco depois, a comédia negra ganhou dois prémios no Filmapalooza, em Hollywood. Em 2015, ele fez três curtas-metragens consecutivas; VIZINHOS, DESERTADOS e BUDDY. BUDDY foi selecionado para sessenta festivais de cinema em todo o mundo, incluindo o Palm Springs ShortFest. Este ano, Niels lançará três novos curtas-metragens: VOLTA AO REDOR, PONTE e SKOGAFOSS.

 

Niels Bourgonje (1980) is an award winning short film and commercial director based in Amsterdam.

Niels started out as an intern on the international feature film THE DEVILS DOUBLE which premiered at the Sundance Film Festival. He graduated with the short thriller BURN, which was selected for several international filmfestivals winning numerous awards. His follow-up was the high intensity drama ORDER. In 2014 Niels directed PEACE AND QUIET, winning the 48 Hour Film Project. Shortly after, the black comedy won two awards at the Filmapalooza in Hollywood. In 2015 he made three short films back-to-back; NEIGHBOURS, DESERTED and BUDDY. BUDDY has been selected for sixty filmfestivals worldwide, including Palm Springs ShortFest. This year Niels will release three new short films: TURN IT AROUND, BRIDGE and SKOGAFOSS.

SOULS | DAN GAGE | FICÇÃO | REINO UNIDO | 2016 | 8

SOULS_2.jpg

When Quando Barrie vai espalhar as cinzas de seu marido em seu pico de montanha favorito, ele é confrontado com a visão de um homem prestes a pular para a morte da beira do penhasco.

SOULS é uma melancolia, mas esperançoso não-diálogo curto sobre perda; estendendo a mão da amizade e o poder afirmativo da vida da conexão humana. Barrie goes to scatter his husband’s ashes at their favourite mountain peak, he is confronted with the sight of a man about to jump to his death from the cliff edge.

SOULS is a melancholy, but hopeful non-dialogue short about loss; extending the hand of friendship and the life-affirming power of human connection.

TELL THEM THAT I FEEL AND I AM | ILÉNA LESCAUT | FRANÇA | DOCUMENTÁRIO | 32

IMG_20180827_155600.jpg

Documentário sobre os benefícios do cuidado não medicamentoso para idosos com doença de Alzheimer em lares de terceira idade: arteterapia e outros métodos.

 

Documentary about the benefits of non drug care for seniors with Alzheimer's disease in retirement homes : art therapy and other methods.

 

ILÉNA LESCAUT

Membro da UniFrance Films

Autor e diretor de documentários

Artista-Pintor, Arteterapeuta, escritor e fundador da Associação "Fenêtres francophones" www.fenetresfrancophones.com

 

Member of UniFrance Films

Author and Director of documentary films

Artist-Painter, Art therapist, writer and founder of the Association "Fenêtres francophones" www.fenetresfrancophones.com

 

https://www.facebook.com/filmdocumentairearttherapie/?notif_t=page_invite&ref=notif

THAT WHICH IS POSSIBLE | MICHAEL GITLIN | DOCUMENTÁRIO | ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA | 83

download.gif

Musical, estimulante e terno, That Which Is Possible é um retrato de uma comunidade de artistas trabalhando no Living Museum, um espaço de arte em razão de um grande hospital psiquiátrico estatal em Queens, Nova York.

Musical, bracing, and tender, That Which Is Possible is a portrait of a community of artists making work at the Living Museum, an art-space on the grounds of a large state-run psychiatric hospital in Queens, New York.

Michael Gitlin faz um trabalho sobre as intricadas estruturas conceituais e ideológicas que usamos para organizar nossos modos de conhecer o mundo. Seus projetos de filmes e vídeos foram exibidos em inúmeros locais, incluindo o Museu de Arte Moderna de Nova York, o New York Film Festival, o Festival Internacional de Cinema de Toronto, o Full Frame Documentary Festival, o London Film Festival e a Whitney Biennial Exhibition. Seu projeto recente, A Disaster Forever, esteve no Festival de Cinema de Nova York de 2015. Seu filme de 16 mm, The Birdpeople, está na coleção do Museu de Arte Moderna. Gitlin foi o ganhador de uma bolsa Guggenheim em 2006. Seu trabalho também foi apoiado pela Fundação Jerome, pelo Conselho de Artes do Estado de Nova York e pela Fundação de Nova York para as Artes. Gitlin recebeu um M.F.A. do Colégio Bard. Ele leciona no Hunter College, em Nova York.

Michael Gitlin makes work about the intricate conceptual and ideological structures that we use to organize our ways of knowing the world. His film and video projects have been screened at numerous venues, including the Museum of Modern Art in New York, the New York Film Festival, the Toronto International Film Festival, the Full Frame Documentary Festival, the London Film Festival and the Whitney Biennial Exhibition. His recent project, A Disaster Forever, was in the 2015 New York Film Festival. His 16mm film, The Birdpeople, is in the collection of the Museum of Modern Art. Gitlin was the recipient of a Guggenheim Fellowship in 2006. His work has also been supported by the Jerome Foundation, the New York State Council on the Arts, and the New York Foundation for the Arts. Gitlin received an M.F.A. from Bard College. He teaches at Hunter College in New York City.

 

Contato: mgitlin@mindspring.com

THE CHAOTIC LIFE OF NADA KADIĆ | MARTA HERNAIZ PIDAL | DOCUMENTÁRIO | MÉXICO | 85

27654531_186546741945302_406759540241994

Sem noção, desorientada, incapaz de terminar o que ela começa, sempre fazendo mil coisas ao mesmo tempo, mas com um profundo desejo de sair de seu país e mudar sua vida. Nada, uma mãe solteira que acabou de perceber que sua filha tem sintomas do espectro do autismo, fará uma viagem ao redor dos Bálcãs para se reconciliar com seu passado e aceitar seu novo destino.

Clueless, disoriented, unable to finish what she starts, always doing a thousand things at once, but with a deep desire to get out of her country and change her life. Nada, a single mother who just realized that her daughter has autism spectrum symptoms, will undertake a trip around the Balkans to reconcile with her past and accept her new destiny.

"There is no need to go somewhere to find ourselves lost"

http://www.cinevendaval.com/

THE STONE |  ANA LÚCIA CARVALHO | UNIVERSIDADE CATÓLICA – MESTRADO EM COMUNICAÇÃO |  FICÇÃO | 2016 | 8

A_PEDRA_6.jpg

Uma jovem que viaja no sul de Angola conhece um médico aposentado que trata das memórias da guerra e do seu desperdício perpétuo.
Uma adaptação do conto curto "The Dragonfly", de Ondjaki.

 

A young girl, traveling in the south of Angola, meets a retired doctor who deals with the memories of war and its perpetual waste.
An adaptation of the short tale "The Dragonfly", by Ondjaki.

 

ANA LÚCIA CARVALHO

Nascida em Luanda (Angola) a 13 de Outubro de 1987, Ana Lúcia Carvalho mudou-se para Lisboa em 2005 e iniciou o curso de Arquitectura na Escola Superior de Artes do Porto (ESAP). Depois de um ano o seu interesse pela Literatura e pelo Cinema falava mais alto e no 2007/2008 começou a frequentar Cinema, Vídeo e Comunicação Multimédia na Universidade Lusófona, um diploma concluído em 2011.
Em seu último ano, foi uma das co-autoras do curta-metragem “Quando os Monstros se vão embora” (2010) - http://www.imdb.com/title/tt1773639/ -, um projeto financiado pelo ICA , dirigido por Bernardo Gramaxo e orientado pelo professor Jorge Paixão da Costa. Este curta-metragem foi seleccionado para festivais nacionais e internacionais e ganhou vários prémios, nomeadamente o 2º lugar do Prémio ZON em Criatividade e Multimédia (categoria curta), e o prémio Sony HD Schools APM.
Em 2010, começou a trabalhar como roteirista freelancer e trabalhou em vários projetos de ficção televisiva, como: A Família Mata (seriado, 2010-11), Maternidade 2 (série, RTP 2011), Dancin 'Days (telenovela, SIC 2011/12 ), Sinais de Vida (telenovela, RTP 2013), Sol de Inverno (telenovela, SIC 2014), Os nossos Dias 2 (telenovela, RTP 2015), Poderosas (telenovela, SIC 2016) e O Sábio (telenovela, RTP 2016). Foi também autora de mais de vinte episódios da longa série Bem-Vindos a Beirais (RTP 2013-16).
Em 2016, concluiu um mestrado em Estudos da Comunicação, com especialização em Comunicação, Cinema e Televisão, na Universidade Católica Portuguesa. Como mestre final, produziu, dirigiu e escreveu o roteiro de um curta-metragem - “The Stone” - uma adaptação de “The Dragonfly”, conto do escritor angolano Ondjaki.

 

 

Born in Luanda (Angola) on 13 October 1987, Ana Lúcia Carvalho moved to Lisbon in 2005, and started the Architecture course at the Arts School of Porto (ESAP). After a year her interest in Literature and Cinema spoke louder and in the 2007/2008 started attending Film, Video and Multimedia Communication at the Lusófona University, a degree concluded in 2011.
In her senior year, she was one of the co-authors of the short film “Quando os Monstros se vão embora” (2010) - http://www.imdb.com/title/tt1773639/ -, a project funded by ICA, directed by Bernardo Gramaxo and supervised by Professor Jorge Paixão da Costa. This short film was selected to national and international festivals, and won several awards, notably the 2nd place of the ZON Prize in Creativity and Multimedia (short film category), and the Sony HD Schools APM award.
In 2010, she started working as a freelancer scriptwriter and worked in several television fiction projects such as: A Família Mata (sitcom, 2010-11), Maternidade 2 (series, RTP 2011), Dancin 'Days (telenovela, SIC 2011/12), Sinais de Vida (telenovela, RTP 2013), Sol de Inverno (telenovela, SIC 2014), Os Nossos Dias 2 (telenovela, RTP 2015), Poderosas (telenovela, SIC 2016) and O Sábio (telenovela, RTP 2016). She was also author of more than twenty episodes of the long-running series Bem-Vindos a Beirais (RTP 2013-16).
In 2016, Ana concluded a master’s degree in Communication Studies, majoring in Communication, Film and Television, at the Portuguese Catholic University. As a final master project, she produced, directed and wrote the screenplay for a short film – “The Stone” - an adaptation of “The Dragonfly”, a short story by the Angolan writer Ondjaki.

TORMENT | LUCIANA CAPLAN | ESTADOS UNIDOS| 2018 | FICÇÃO | 19´

6dc9c06264-poster.jpg

Um ser humano à beira da insanidade, lidando com todos os seus possíveis medos.

Luciana Caplan era muito jovem quando se apaixonou pela Sétima Arte. Naquela época, ela costumava passar todos os finais de semana assistindo filmes - seu recorde foi de 14 filmes em um único fim de semana!
Depois de deixar o emprego de juíza federal no Brasil e mudar-se para a Califórnia, ela decidiu começar a trabalhar com sua paixão. Escrevendo, produzindo, lançando ... uma boa maneira de usar as habilidades que ela havia desenvolvido a vida inteira ... trabalhando com sua paixão.

 

 

A human being on the edge of insanity, dealing with all her possible fears.

 

Luciana Caplan was very young when she felt in love with the Seventh Art. At that time, she used to spend all weekends watching movies - her record was 14 movies in a single weekend! 
After quitting her job as a Federal Judge in Brazil and moving to California, she decided to start working with her passion. Writing, producing, casting... a good way to use the skills that she had been developed the entire life... working with her passion.

WHEN | DEANNA CRISBACHER | UNITED STATES | ESCOLAS | COMPUTER ANIMATION ARTS – UNIVERSITY FOR THE CREATIVE ARTS – ROCHESTER | REINO UNIDO | 7

29.jpg

'Quando' discute a experiência do cineasta com a doença mental e como isso afetou sua percepção do mundo ao seu redor. Concentra-se principalmente na Anorexia Nervosa, Ansiedade e Depressão. Destina-se a representar essas idéias de uma forma artisticamente abstrata, mas honesta - usando o CGI como um meio para criar uma experiência impactante que fará o público pensar sobre a doença mental de uma maneira que não poderia ter antes.

Deanna Crisbacher é uma estudante americana que estuda Artes de Animação Computacional BA (Hons) na Universidade de Artes Criativas, Rochester. Depois de morar em New Jersey (EUA) até os 16 anos, ela se mudou para o Reino Unido e estudou Arte A-Level, Têxtil e Estudos de Negócios na Anglo European School. Em seguida, ela fez o curso de Belas Artes no programa da Fundação no UCA Canterbury antes de ingressar no curso de Artes Visuais em Artes (BA) no campus da UCA em Rochester. Sua paixão e entusiasmo pela criação de arte e filmes permitiu-lhe ter sucesso em seus estudos.
Ela gosta de criar histórias impactantes e significativas que provocam a audiência a pensar de maneiras que elas não podem ter antes, ao mesmo tempo em que ampliam os limites de suas habilidades. Ao criar filmes e obras de arte, ela experimenta novas técnicas inovadoras para criar algo único. O principal objetivo da maioria de suas obras de arte e filmes é fazer com que os espectadores reflitam sobre uma variedade de assuntos, especialmente tópicos que são mais difíceis de discutir.

 

'When' discusses the filmmaker's experience with mental illness and how it has impacted her perception of the world around her. It mainly focuses on Anorexia Nervosa, Anxiety, and Depression. It aims to represent these ideas in an artistically abstract but honest way - using CGI as a medium to create an impactful experience that will make the audience think about mental illness in a way they might not have before.

 

Deanna Crisbacher is an American student studying BA (Hons) Computer Animation Arts at The University for the Creative Arts, Rochester. After living in the New Jersey (USA) until the age of 16, she moved to the UK and studied A-Level Art, Textiles, and Business Studies at Anglo European School. She then pursued Fine Art at the Foundation program at UCA Canterbury before progressing onto the BA (Hons) Computer Animation Arts course at UCA’s Rochester campus. Her passion and enthusiasm for creating art and films has allowed her to succeed in her studies.

She enjoys creating impactful, meaningful stories that provokes the audience to think in ways they may not have before while simultaneously pushing the boundaries of her abilities. When creating films and artwork she experiments with new, innovative techniques to create something unique. The main aim of most of her artwork and films is to get viewers to reflect on a variety of subject matter, especially topics that are often more difficult to discuss.

WHISPER RAPTURE | KEN PAUL ROSENTHAL | DOCUMENTÁRIO | ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA | 36

Whisper Rapture_Frame Still 1.jpg

Whisper Rapture é um documentário de música e saúde mental sobre a jornada do violoncelista e vocalista Bonfire Madigan Shive, de jovens traumatizados a músicos virtuosos e ativistas pioneiros em saúde mental. Suas experiências ao longo da vida com ouvir vozes e desespero suicida são transpostas para o pop avant-garde, música de câmara influenciada pelo punk e uma cultura de cura progressiva que transcende as patologias restritivas da psiquiatria convencional. Seis canções originais são visualizadas com imagens luminosas de ambientes naturais e urbanos.

 

Whisper Rapture is a music and mental health documentary about cellist-vocalist Bonfire Madigan Shive’s journey from traumatized youth to virtuoso musician and pioneering mental health activist. Her lifelong experiences with hearing voices and suicidal despair are transposed into avant-garde pop, punk-influenced chamber music, and a progressive healing culture that transcends the restrictive pathologies of mainstream psychiatry. Six original songs are visualized with luminous images from natural and urban environments.

 

 

 

 

 

 

 

 

Ken Paul Rosenthal é um artista de cinema e defensor de saúde mental cujos documentários exploram a geografia da loucura através do poder regenerativo da natureza, paisagens urbanas, filmes caseiros e imagens de arquivo de filmes de higiene social. Seus filmes são obras de arte visualmente sensuais e emocionalmente inteligentes que também funcionam como ferramentas para a transformação pessoal e social.

Ken Paul Rosenthal is a cinema artist and mental health advocate whose documentaries explore the geography of madness through the regenerative power of nature, urban landscapes, home movies, and archival footage from social hygiene films. His films are visually sensual, emotionally intelligent works of art that also function as tools for personal and societal transformation.

 

www.kenpaulrosenthal.com

http://www.whisperrapture.com/

www.maddancementalhealthfilmtrilogy.com

b03e5c1f5f-headshot.jpg

WHO WE ARE | NICHOLAS MANTING BREWER | ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA | DOCUMENTÁRIO |  2017 | 26

WWA_-_FINAL.jpg

Nos Estados Unidos, pelo menos 91 pessoas morrem todos os dias de uma overdose para opiáceos, incluindo analgésicos prescritos e heroína. As ondas dessas mortes perduram nas memórias daqueles que sobrevivem e daqueles que eles deixam para trás. É onde começa o Quem Somos. Leva-nos a uma viagem imersiva através do choque da epidemia de opióides nas cidades suburbanas do sul da Califórnia, Simi Valley e Agoura Hills. Essa experiência imersiva leva o espectador à vida das pessoas que ficaram no caminho. Quem Somos é um retrato íntimo e meditativo da vida, perda e esperança através dos olhos dos pais que perderam um filho para a heroína, e três outras famílias experimentando diferentes estágios de pesar depois de serem empurrados para o mundo da epidemia de opiáceos, um Crise americana.

 

In the United States, at least 91 people die everyday from an overdose to opioids, including prescription painkillers and heroin. The ripples of these deaths linger in the memories of those who survive, and those who they leave behind. This is where Who We Are begins. It takes us on an immersive journey through the aftershock of the opioid epidemic in the suburban Southern California cities of Simi Valley and Agoura Hills. This immersive experience takes the viewer into the lives of people left in the wake. Who We Are is an intimate and meditative portrait of life, loss, and hope through the eyes of parents who have lost a child to Heroin, and three other families experiencing different stages of grief after being thrust into the world of the opioid epidemic, an American crisis.

 

Nicholas Manting Brewer é um premiado contador de histórias documentário com interesse em criar documentário envolvente e experimental, animação e conteúdo de RV. Ele se formou em New College of Florida em 2012 com um BA em Antropologia Cultural e Visual. Nicholas acredita em unir o serviço público ao cinema. Ele é um ex-aluno da AmeriCorps VISTA cujo uso inovador de publicidade em vídeo e fotografia lhe rendeu o Prêmio de Reconhecimento VISTA do Campus Compacto do Florida Campus. Ele está cursando Mestrado em Produção pela Escola de Artes Cinematográficas da University of Southern California. Na primavera de 2017, dirigiu Who We Are, um curta-metragem sobre a vida no cinturão de heroína do sul da Califórnia. Ele é um beneficiário do Bridge Arts and Science Alliance Grant. Os interesses de pesquisa de Nicholas incluem cinema poético, imersão, animação e edição de filmes. Ao longo de sua carreira, espera explorar a diversidade através da interface com diretores de todo o mundo para compartilhar um espectro mais amplo da experiência humana.

 

 

Nicholas Manting Brewer is an award winning documentary storyteller with an interest in creating immersive and experimental documentary film, animation, and VR content. He graduated from New College of Florida in 2012 with a BA in Cultural & Visual Anthropology. Nicholas believes in bridging public service with filmmaking. He is an AmeriCorps VISTA alumnus whose novel use of video and photographic advertising earned him the Florida Campus Compact VISTA Recognition Award. He is pursuing his MFA in Production from University of Southern California’s School of Cinematic Arts. In Spring 2017, he directed Who We Are, a short film about life in the Heroin Belt of Southern California. He is a Bridge Arts and Science Alliance Grant recipient. Nicholas’s research interests include poetic cinema, immersion, animation, and film editing. Throughout his career hopes to explore diversity through interfacing with directors from around the world to share a broader spectrum of the human experience.

 

whoweare-film.com

mantingb@usc.edu

Trailer https://vimeo.com/253269763

http://www.nmantingbrewer.com/